VER-O-FATO: PERÍCIA NO INSS - Em Belém, o sufoco e os aborrecimentos de sempre: até quando?

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

PERÍCIA NO INSS - Em Belém, o sufoco e os aborrecimentos de sempre: até quando?


É sempre a mesma coisa: entra governo, sai governo e a perícia de segurado do INSS, que deveria ser algo sem problema, vira um sufoco e estressa qualquer segurado. Em Belém, as reclamações se sucedem, seja na demora no atendimento, ou na ausência de médico.

Nesta manhã de quinta-feira, quem precisava se submeter ao exame encarou o velho problema de chegar bem cedo, mal o sol apareceu, para garantir os primeiros lugares na hora de encarar o doutor. O fato de chegar cedo, porém, apenas serve para prolongar o sofrimento do periciado. 


Há sempre mais gente a ser atendida do que a disponibilidade e a presença do médico-perito no horário correto para fazer seu trabalho. Aliás, reclamações contra a demora de médico são as mais comuns. 

Principalmente de segurados com problemas de locomoção, como cadeirantes e pessoas amparadas em muletas, além de outras com problemas de saúde e que reclamam de ficar muito tempo sentadas.

E o pior, aconteceu: muita gente voltou para casa sem passar pela perícia, porque a Internet (vulgo sistema) simplesmente saiu do ar no posto do bairro do Marco, como em Icoaraci. Para variar. 

Quando o INSS vai ser um órgão à altura das expectativas dos contribuintes que sustentam a Previdência Social com seus impostos?

Com a palavra, os burocratas do órgão.


Um comentário: