VER-O-FATO: MAMATA DE R$ 7,5 BILHÕES - Governador Helder, cancele a isenção à Hydro e vai aparecer dinheiro para investir no Pará

terça-feira, 6 de agosto de 2019

MAMATA DE R$ 7,5 BILHÕES - Governador Helder, cancele a isenção à Hydro e vai aparecer dinheiro para investir no Pará

A multinacional norueguesa Norsk Hydro tem uma enorme dívida social e ambiental com o Pará, por tudo o que ela fez e continua a fazer por aqui. Apesar disso, no governo de Simão Jatene, o grupo e seus satélites econômicos Alunorte e Albrás ganharam de mão beijada uma prosaica isenção fiscal de R$ 7,5 bilhões. Ou seja, foi dinheiro que deixou de entrar nos cofres públicos e que hoje fazem uma falta danada.

Pois bem. O atual governador, Helder Barbalho, tem o poder da caneta nas mãos para, se quiser - e deveria querer, pois esta é uma imposição do momento em que vive o Pará - revogar a renúncia fiscal que Jatene concedeu à Hydro. Não só à Hydro, mas a outros oligopólios financeiros e grupos transnacionais, como a Vale, Imerys, Alcoa e outras menos votadas, mas nem por isso mais pobres. 

Em outubro de 2018, na véspera da eleição para o governo, ainda no primeiro turno, Helder Barbalho postou no Instagram o seguinte comentário, curtido (veja, acima) por 3.846 pessoas, quando a Hydro, num arroubo chantagista, ameaçava ir embora do Pará, fechar as fábricas dela em Barcarena e demitir 4 mil trabalhadores:  

“A Hydro é uma empresa global que trabalha em outros países com o devido respeito ao meio ambiente. Isso me dá certeza que ela trabalhe aqui respeitando as nossas florestas, rios e leis”, afirmou Helder.


O Ver-o-Fato tomou conhecimento e passa adiante a informação  de que em recente reunião de Helder com diretores da Hydro, a empresa se dispôs a investir R$ 50 milhões em projeto de interesse do Estado. Espertamente, porém, o dinheiro oferecido sairia de um TAC de R$ 150 milhões que a multinacional firmou com os Ministérios Públicos Federal (MPF) e Estadual (MPPA) por conta das compensações por danos provocados pelo grupo em Barcarena. 

O governador teria ficado irritado com o valor - autêntica esmola - do tal investimento da Hydro e, pior ainda, pelo fato de o dinheiro sair de um acordo extrajudicial. A conversa com os noruegueses  azedou. 

Helder precisa consultar o processo judicial de número 0824030-11.2019.8.14.0301 para saber como alguns setores do governo dele, principalmente o jurídico, vive no maior amor com a Hydro, enquanto o Estado se vira nos 30 para manter a máquina em funcionamento.  

O processo acima citado foi ajuizado pela Cainquiama, associação que representa quase 100 comunidades de Barcarena, para obrigar a Hydro a cumprir condicionante prevista no incentivo fiscal que todo o grupo recebe - Alunorte, Mineração Paragominas, Mineração Rio do Norte, Albrás - da mamata de 7,5 bilhões da isenção fiscal.

Para quem não sabe, em Barcarena está a maior contaminação atmosférica da América Latina, causada pela poluição da queima de combustíveis fósseis (óleo diesel, carvão vegetal) das indústrias Albrás e Alunorte.

E o que quer a associação dos atingidos pela Hydro? Ela pede à Justiça que a Hydro seja obrigada a cumprir a “condicionante”, que “condiciona” o incentivo fiscal multibilionário a que a Hydro mude sua fonte de energia para gás natural.

Esse processo foi ajuizado na 5ª Vara da Fazenda este ano, já no governo Helder. Acontece que a Procuradoria Geral do Estado do governador eleito está contradizendo o candidato Helder: a PGE defende com unhas e dentes os interesses da Hydro. Para a PGE, a Hydro pode continuar distribuindo lucro aos seus acionistas noruegueses dos 7,5 bilhões economizados, e também pode continuar contaminando o Pará, sem precisar alterar o seus sistema produtivo antiquado e altamente contaminante.

A associação Cainquiama pede que a Justiça mande-a alterar isso, e passar a matar menos pessoas com doenças respiratórias em Barcarena, ou então que sejam cancelados os incentivos fiscais.

Então, governador Helder, se o senhor não sabia de mais esse segredinho da PGE, agora fica sabendo. E resta, por fim, perguntar: as palavras do candidato em campanha Helder Barbalho ainda estão valendo, como a postada em 3 de outubro de 2018, sobre a Hydro?



4 comentários:

  1. 7,5 bi de reais de isenção pra acabar com Barcarena? Então esse foi o preço Carlos Mendes?
    Cara, Jatene foi mais perverso do que jamais imaginei...

    ResponderExcluir
  2. É o Mp Estadual segue dando impunidade a jateve e toda a tucanalha! Lamentável!

    ResponderExcluir
  3. Verdade, Marcos. Governador probo e interessado no povo era só retórica

    ResponderExcluir
  4. Vou sentar para esperar e ver 7,5 bilhões de reais de investimentos. Paraenses (eu sou paraense!) adoram este tipo de investimento. Tem a isenção para exportação, agora tem a isenção para a Nordisk. Não discuto se certo ou errado, mas quanta gente continua sonhando com este dinheiro, quanta gente continua vendendo ilusões para o nosso povo. Isto é ouro de tolo, meu povo! Desejam melhorar de vida vamos trabalhar e NÃ0 ESCOLHAMOS POLÍTICOS PILANTRAS, que só apresentam projetos para melhorar as suas vidas e das suas famílias!

    ResponderExcluir