VER-O-FATO: FUGA DE PRESÍDIO - Corrupção de servidores e porteira aberta da cadeia para líderes de organizações criminosas

quinta-feira, 25 de julho de 2019

FUGA DE PRESÍDIO - Corrupção de servidores e porteira aberta da cadeia para líderes de organizações criminosas


Nem o sistema penal do Pará - pelo menos até o momento - sabe dizer quantos internos fugiram na madrugada de hoje da Central de Triagem Metropolitana III (CTM III), localizada no complexo penitenciário de Santa Izabel. O cálculo preliminar é de 16 foragidos, vários deles de alta periculosidade. 

Até o começo desta tarde, segundo informações da Superintendência do Sistema Penal (Susipe), a recontagem dos internos ainda não havia sido concluída.  Agora vem o pior de tudo: os foragidos, para que tudo desse certo, teriam recebido ajuda de dez servidores da unidade que estavam de plantão na madrugada, ainda segundo a própria Susipe. 

A câmera de vigilância foi desligada às 1h50 e permaneceu desativada durante aproximadamente 15 minutos. Neste período, duas celas foram destrancadas e os detentos saíram, fugindo pela porta de entrada da casa penal. 


Todos os servidores supostamente envolvidos na ação já foram encaminhados para a Delegacia Geral, onde serão realizados os procedimentos cabíveis e interrogatório. A Susipe, juntamente com as polícias civil e militar, com apoio do Batalhão de Polícia Penitenciária (BPOP), estão investigando os fatos. "Os servidores envolvidos serão punidos administrativamente e judicialmente de forma rigorosa", diz a nota do órgão. 

Quem fugiu

Na lista preliminar dos internos foram identificados: Isac Castro Oliveira, João Guilherme da Silva Pantoja, Bruno Vinícius Silva Carmo, Nunis Azevedo Nascimento, Lucenildo Barbosa, Ricardo dos Santos Pereira, Abel Braga Gomes Neto, Dalvan Sousa da Conceição, Daniel Machado Neves, Danilo Alves dos Santos, Melk Henrique Silva Souza, Ronivon Araújo do Nascimento, Victor Hugo da Rocha Ferreira, Wanderson Fernando da Silva Alves, Wellington da Silva Barros e José Araújo Vilarins Neto. 

"Parte dos foragidos são líderes de organizações criminosas. Quem tiver qualquer informação que possa ajudar na recaptura dos fugitivos pode fazer uma denúncia anônima pelo 181. O sigilo é garantido, resume o comunicado da Susipe.



Nenhum comentário:

Postar um comentário