VER-O-FATO: EXCLUSIVO - Torcida do Remo levanta o Novo Baenão, que custou R$ 1,5 milhão

segunda-feira, 8 de julho de 2019

EXCLUSIVO - Torcida do Remo levanta o Novo Baenão, que custou R$ 1,5 milhão

Há cinco anos o estádio não recebe jogos oficiais do Leão. Agora, está no ponto

Paulo Jordão - repórter

Uma reforma que durou cinco anos e saiu ao custo aproximado de R$ 1,5 milhão, bancado em sua maior parte por torcedores anônimos, apaixonados pelo Clube do Remo, o famoso Leão Azul. Agora, finalmente, o Remo vai voltar a jogar em casa, com a companhia contagiante de sua torcida, mais conhecida como Fenômeno Azul.

Falta pouco. Dentro dos próximos dias, provavelmente nesta terça-feira (9) a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) vai anunciar se libera ou não o estádio Evandro Almeida, o Baenão, para os próximos jogos do Clube do Remo pela Série C do Campeonato Brasileiro. Hoje (8), dirigentes da CBF fizeram uma vistoria nas instalações do estádio para constatar se tudo está dentro dos critérios estabelecidos. 

Se tudo correr como espera a direção do Remo, o clube vai voltar a jogar em casa, após cinco longos anos de espera, diante de sua apaixonada torcida. Nestes últimos anos, o Remo passou por uma grave crise financeira, agravada com a interdição do Baenão, após o ex-presidente, Zeca Pirão, mandar derrubar as arquibancadas localizadas para o lado da rua Mercedes. 

Hoje, com a mudança da diretoria e o apoio incondicional de sua torcida, finalmente as obras de reforma foram concluídas e o Baenão está pronto para ser utilizado novamente pelo Remo. Muitos remistas colaboraram nesta empreitada de resgate do estádio - diretoria, beneméritos, empresários e, principalmente torcedores - que não mediram esforços para soerguer a casa do clube de coração. 

A reforma do Baenão passou por várias etapas. Inicialmente a arquibancada localizada na Avenida Rômulo Maioria, antiga 25 de Setembro, foi restaurada, seguida pela arquibancada da Avenida Almirante Barroso. A seguir houve adequação de combate a incêndio e pânico e construção da área lateral da Rua Mercedes, com a criação da geral e acesso às arquibancadas. 

A etapa seguinte foi a troca do gramado do Baenão. Depois, os engenheiros responsáveis pela obra providenciaram a revisão do sistema elétrico e a troca da iluminação. O próximo passo foi a pintura das dependências internas e revitalização da fachada. Todas as cadeiras cativas foram trocadas ou restauradas, assim como todos os vestiários e banheiros reformados. 

Agora, o Remo e sua torcida só dependem da autorização da CBF para voltarem a jogar em casa. A nova casa azulina tem capacidade para 13 mil torcedores. 




-->

4 comentários:

  1. Bem vindo a casa do Leão, o maior do Norte!!

    ResponderExcluir
  2. Por causa sa incompetência e desonestidade de alguns dirigentes, o Remo perdeu prestígio e credibilidade. No entanto, aos poucos vai recuperando o seu lugar no cenário nacional. Avante, rei do norte! Senhor absoluto do Re x pa. Tens mais vitórias, depois vem o empate e só depois o freguês principal! Kkkkk

    ResponderExcluir
  3. Pirão deve ir? Bem, sequer tomou uma dura pela cagada que fez quando "presidiu" o clube...

    ResponderExcluir
  4. Parabéns ao Fábio Bentes, a torcida e todos os envolvidos.

    ResponderExcluir