VER-O-FATO: RIO MARIA, URGENTE: Pistoleiros matam Carlos Cabral, o sindicalista ligado à família Canuto

terça-feira, 11 de junho de 2019

RIO MARIA, URGENTE: Pistoleiros matam Carlos Cabral, o sindicalista ligado à família Canuto

Cabral já havia sofrido atentado
O relato, a seguir, é do padre Ricardo Rezende Figueira, que há mais de 30 anos atuou no sul do Pará e de lá teve de sair para não ser assassinado. Ele fala sobre o atentado a bala que matou hoje, Carlos Cabral, presidente do sindicato de trabalhadores rurais daquele município e diretor da Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB):

"Acabo de receber, com tristeza, a informação do assassinato de mais um presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Rio Maria, no Pará. Meus sentimentos para a família e um sinal de que os problemas na região prosseguem. Mataram João Canuto, na época sogro do Carlos, Expedito, ambos presidentes do mesmo Sindicato. Assassinaram José e Paulo Canuto, filhos de João Canuto, e o sindicalista Brás, entre outros...


Segundo Informações do comandante da Policia Militar de Rio Maria, sargento Silvio, Carlos Cabral sofreu uma atentado a balas quando estava nas proximidades da casa onde o mesmo residia no Bairro Planalto, cidade de Rio Maria, sul do Pará. Cabral como era mais conhecido na cidade era presidente do sindicato dos trabalhadores de Rio Maria, e ex-genro do também sindicalista João Canuto, assassinado na década de 80. 

Na ocasião Cabral havia sobrevido a um atentado. Na mesma época, foram assassinados os irmãos Paulo e José Canuto, ambos cunhados de Carlos Cabral. Segundo informações, dois homens em moto e com capacetes se aproximaram e dispararam contra Carlos, que foi atingido por 4 disparos, sendo um deles na cabeça. 

Cabral foi socorrido pelo (Samu) serviço de pronto atendimento e levado para o serviço de emergência do hospital Municipal às 17:00 horas, mas não resistiu aos ferimentos, indo a óbito antes de ser medicado.

Ainda segundo o comandante da PM de Rio Maria, uma equipe da Policia Militar saiu em diligência à procura dos suspeitos. A polícia Civil de Rio Maria deverá iniciar as investigações para elucidar o ocorrido." 



6 comentários:

  1. E com a política de arnas do presidente facista, que é a favor dos latifundiários a matança vai aumentar no campo!
    Cada povo tem o governante que merece!

    ResponderExcluir
  2. Muito triste meu caro jornalista. Uma vida de lutas, caindo em um momento tenebroso de um governo que preconiza o armamento e dá voz a latifundiários e grileiros. Sem falar em pessoas inescrupulosas que mancham o nosso Pará.

    ResponderExcluir
  3. Lamentável, um crime que suja de sangue o estado do Pará, como foi com Expedito, irmã Dorothy . E tantos outros que foram executados por lutarem por direitos tão elementares, como a própria sobrevivência. Justiça já! Se é que podemos contar com ela.

    ResponderExcluir
  4. Como irmão de Carlos Cabral, quero registrar com tristeza este momento.. Carlos, Expedito, Canutos, Brás e tantos outros mártires da luta contra o latifúndio que impera na nossa região...

    ResponderExcluir
  5. Lamentável essas pessoas q tudo a culpa e do governo isso já vem acontecendo a muito tempo a vários anos o presidente não está insetivando a ninguém até pq bandidos andam armado apenas os pequenos ficarão a mercê desses criminosos. Acho q o gonverno vem tentando resgatar um país q a um tempo atrás se perdeu e a cada dia estava se afundando

    ResponderExcluir