VER-O-FATO: PMs EM VÍDEO - "A nossa situação está insustentável: podemos perder a farda e ainda ser presos"

quinta-feira, 6 de junho de 2019

PMs EM VÍDEO - "A nossa situação está insustentável: podemos perder a farda e ainda ser presos"


Um vídeo enviado ao Ver-o-Fato mostra vários policiais militares negando participação em motim ao mesmo tempo em que pedem que esposas e mães encerrem o movimento iniciado no final do mês em protesto contra a insegurança de PMs nas ruas, além de reivindicações de natureza econômica.

Gravado na porta do 2º BPM, na rua Gaspar Viana, em Belém, os  policiais militares afirmam no vídeo que a situação deles "está ficando insustentável". E enfatizam: "estamos ameaçados de perder a farda e de ser presos". 

No total, já chega a 70 o número de policiais militares com pedido de prisão preventiva e expulsão da tropa, segundo documento enviado à Justiça Militar pelo promotor, Armando Brasil. Além disso, a Corregedoria da PM abriu processo administrativo disciplinar contra eles, acusando-os de não cumprir a escala de serviço e de desacatar as ordens de seus comandantes. 

Desses 70 cujos nomes constam no pedido de preventiva e expulsão, 20 procuraram a promotoria militar, explicando a Armando Brasil que não estão envolvidos no movimento das mulheres, não se negaram a trabalhar e dizem ter provas de suas alegações. Eles solicitaram que seus nomes sejam excluídos do pedido de prisão e expulsão.

"Vou examinar os pedidos desses PMs, analisar as provas que eles alegam possuir de que não fazem parte do grupo de amotinados e depois decidirei o que fazer", disse Brasil ao Ver-o-Fato. O promotor é conhecido tanto pelo rigor no tratamento aos militares envolvidos em crimes, como pelo senso de justiça quando identifica inocência nos processos que passam pelas mão dele.

10 comentários:

  1. Esse promotor Armando Brasil é o mais corajoso desse estado, aliás ele é mais corajoso que o Sérgio Moro !

    ResponderExcluir
  2. Quem dera tivéssemos 10 promotores desse quilate. O Pará não seria essa porcaria deixada pela tucanalha nesses mais de 20 anos de roubalheira.

    ResponderExcluir
  3. De acordo com vc, Paulo!

    ResponderExcluir
  4. Desculpa, mas as mulheres estão a mando de quem ? A quem interessa a "greve' dos policiais ou que eles permaneçam aquartelados ?

    Seria retaliação por conta das prisões dos agentes envolvidos na chacina?

    Não há sentido o movimento reinvindicar e não tomar conhecimento das penalidades previstas no código militar.

    ResponderExcluir
  5. Vcs não sabem nada da realidade dos policiais militares.

    ResponderExcluir
  6. E nem vc também unknown!

    ResponderExcluir
  7. Não entendo mais nada, policiais militares pedindo proteção quando eles são pagos para dar segurança a nos.

    ResponderExcluir
  8. Entra governante e sai governante e a história é a mesma. O que entendemos é que policiais estão sendo executados e outros executandos "foras da lei", em uma guerra sem vencedores. E o pior é que nenhum governante vai resolver. Principalmente quando a propina rola solta em todos os escalões. Nas periferias vc percebe o grau de conivência de militares e contraventores. Ou vc acha que o soldo de um militar dá para ele se manter durante 30 dias? Vale o promotor sair de seu poderoso habitat, ou jornalistas pesquisarem a real história do cotidiano de militares e contraventores, na Cabanagem, Pratinha, Bengui, Tapanã etc.

    ResponderExcluir
  9. Apoio total e irrestrito ao Armando Brasil

    ResponderExcluir