VER-O-FATO: Manifestantes, após acordo com a PM, liberam acesso ao Lixão de Marituba

domingo, 2 de junho de 2019

Manifestantes, após acordo com a PM, liberam acesso ao Lixão de Marituba

Caminhões retomaram coleta do lixo. Foto da Agência Belém 
Após dois dias em que nenhum dos caminhões que recolhem o lixo das mais de 650 mil casas e apartamentos da região metropolitana teve acesso ao lixão de Marituba, os manifestantes que bloqueavam a entrada do local, em acordo com a Polícia Militar, decidiram liberar a área. 

Os manifestantes fecharam a entrada do lixão em protesto contra a decisão do desembargador Luiz Neto, que atendeu a um pedido da prefeitura de Belém e prorrogou por mais 4 meses a permanência da empresa  Guamá Tratamento de Resíduos no local. 

A tropa da PM chegou ao local às 6 da manhã e tinha ordem do comando para retirar os entulhos que impediam o acesso dos caminhões. Os manifestantes, sem opor qualquer resistência, explicaram ao coronel Carlos Dantas, chefe da operação militar, que não suportavam mais tanto fedor e desrespeito aos seus direitos a uma vida digna. 

O militar disse que entendia as razões, mas que estava ali para cumprir a decisão judicial e permitir a entrada dos caminhões, pedindo a compreensão para os direitos de centenas de milhares de famílias que também cobravam no poder público a coleta do lixo que produzem.   

Segundo Dantas, depois de breve e respeitoso diálogo, os manifestantes resolveram acatar o pedido da PM e "liberaram a via sem criar nenhum problema. Tudo ocorreu de forma ordeira, tranquila e segura para todos”, resumiu o oficial. 

Era possível ver o estrago que a ausência da coleta regular do lixo provocou nas ruas de Belém e Ananindeua. Na porta das residências, sacos e lixeiras estavam por toda parte. Em alguns bairros, o mau cheiro exalava pelas ruas.     


A prioridade na coleta é para feiras, hospitais e mercados, onde a demanda de lixo exigiu várias idas e vindas dos caminhões. A prefeitura estima que o serviço deve ficar normalizado no decorrer desta semana que começa.




2 comentários: