VER-O-FATO: TRETA POLÍTICA - Vereador do Psol é barrado em escola da ilha Urubuoca; PMB diz estar aberta à fiscalização

sexta-feira, 24 de maio de 2019

TRETA POLÍTICA - Vereador do Psol é barrado em escola da ilha Urubuoca; PMB diz estar aberta à fiscalização


Em um vídeo que circula nas redes sociais (veja, acima), o vereador de Belém, Fernando Carneiro (Psol) foi barrado ontem, em meio a uma grande discussão com mulheres, inclusive mães de alunos - de ter acesso à Unidade Pedagógica da Ilha do Urubuoca, uma das 37 ilhas que cercam a capital. Carneiro acusa a diretora da escola de "impedir fiscalização" por um representante do legislativo. Ela rebate, dizendo que o vereador queria "interromper a aula dos estudantes".

A treta segue num ritmo frenético. O vereador, preso ainda na escada do trapiche de acesso à ilha, insiste em subir, mas as mulheres fazem um cordão de isolamento e se negam a liberar a entrada dele no local. O bate-boca é intenso: "você está me empurrando, isso vai dar complicação", diz Carneiro. "Não estou empurrando", responde a mulher. Outra, no degrau da escada, pede para "chamar os alunos e tacar ovos nele, que é o que ele merece".

Carneiro alega estar sendo "agredido" pelas mulheres, enquanto estas o acusam de promover "vandalismo" e de não apresentar sequer uma emenda na Câmara Municipal em favor da escola. Ele tenta se justificar, dizendo que apresenta emenda, mas o prefeito "não aprova nenhum emenda minha".

"Você não vai entrar, a menos que bata na gente", finaliza a mãe de um aluno. "Eu estou aqui para defender o seu filho", responde o vereador. A mulher dá uma risada. E as outras não deixam Carneiro chegar a escola, fazendo-o desistir.  


Fala o vereador

Em nota enviada ao Ver-o-Fato, a assessoria do psolista narra sua versão da treta política: "com medo da fiscalização na Unidade Pedagógica da ilha do Urubuoca, DAS’s da presidente da Funbosque bloquearam a entrada, ainda no trapiche, do vereador Fernando Carneiro, vice presidente da comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal de Belém e do dirigente do Sintepp, Nairo Bentes. 

A mando da Beatriz Padovani, que a todo custo quer acabar com o ensino médio na Escola Bosque, Simone e Francisca Amorim, velhas conhecidas por envolvimento em crimes de extorsão em Outeiro, impediram a visita. Esse fato não ficará impune. Não nos intimidaremos com a ação truculenta de uma despreparada que ora ocupa a direção da Funbosque. As medidas legais já estão sendo tomadas. Fernando Carneiro vereador Psol".

Fala a prefeitura

Procurada pelo Ver-o-Fato, a prefeitura de Belém enviou a seguinte nota: "a Prefeitura de Belém, por meio da Fundação Escola Bosque, esclarece que tomou conhecimento por terceiros da situação envolvendo o vereador Fernando Carneiro, nesta quinta, dia 23. 

O que chegou ao conhecimento da administração municipal foi que moradores da ilha teriam impedido o vereador de acessar a unidade escolar. A prefeitura ressalta que a Escola Bosque está aberta à fiscalização de todos os órgãos, inclusive do Poder Legislativo".



6 comentários:

  1. Dar até para vomitar com essa nota da prefeitura.
    Esse prefeito,cassado, corrupto Tucanalha zenada impediu sim o acesso do vereador, através dos seus DAS.
    O vereador tem que pedir a cassação por improbidade do prefeito.E processar a Diretora da escola Bosque

    ResponderExcluir
  2. Essa assessoria é contraditória sempre vai defender esse prefeito corrupto, brigão e perseguidor das pessoas de Belém...

    ResponderExcluir
  3. Deveriam era ter jogado este politico dentro d'agua, fazer politica para aparecer. Tem que ser do Psol.

    ResponderExcluir
  4. A presidente da funbosque,pelo serviço prestado,não permitindo o acesso do Vereador nas dependência da escola bosque, vai sair de férias conforme diario oficial do dia 23/05/2019

    ResponderExcluir
  5. O vídeo deixa claro: são mães.

    E viva as mães que impedem que admiradores das narcotiranias da Venezuela e de Cuba usem a escola pra enganar seus filhos.

    ResponderExcluir