VER-O-FATO: SUSPEITOS PRESOS - Será que esses dois estão envolvidos no massacre do Guamá?

Reservas de ingressos

Reservas de ingressos
Clique na imagem, preencha o formulário e garanta seu ingresso

terça-feira, 21 de maio de 2019

SUSPEITOS PRESOS - Será que esses dois estão envolvidos no massacre do Guamá?

 Edivaldo Santana e Aguinaldo Pinto, presos pela polícia com armas e coletes 
Os veículos estavam sendo descaracterizados na oficina no bairro do Guamá
Dois suspeitos de envolvimento na chacina do Guamá foram presos em flagrante na tarde desta terça-feira na Divisão de Homicídios, em Belém. O crime ocorreu no domingo, quando homens encapuzados invadiram um bar e mataram onze pessoas. Os suspeitos estavam com o veículo que teria sido usado no crime e foram encontrados com coletes à prova de balas e armas. A polícia investiga se eles estavam no grupo de atiradores.


Na verdade, são dois carros com envolvimento na chacina que foram apreendidos. Os veículos, de modelo Celta e cor preta, foram localizados em uma oficina no bairro do Guamá, onde estavam sendo desmontados. Segundo informações da polícia, um dos veículos foi o usado no momento do crime, e algumas peças dele, como vidro e rodas, estavam sendo trocadas com as do outro veículo, do mesmo modelo. 

A medida era tomada pelos suspeitos para que os veículos não fossem identificados. Os suspeitos foram identificados como Edivaldo dos Santos Santana e Aguinaldo Torres Pinto. Com eles, foram apreendidas armas e coletes balísticos, que estavam no local. Eles estavam sendo interrogados na Divisão de Homicídios.

A própria polícia diz não ser ainda possível apontar os suspeitos como envolvidos no massacre. Por enquanto, eles serão indiciados por porte ilegal de arma de fogo e fraude processual. Tudo dependerá do depoimento que estão prestando. As informações serão comparadas com o que a polícia já apurou durante o começo das investigações, inclusive imagens de uma câmera que pegava toda a movimentação da rua e do bar.

Na fase do inquérito, a polícia já ouviu 23 pessoas. Até agora, ela  trabalha com a hipótese de que o local do crime tenha relação com o tráfico de drogas. Porém, não descarta outras hipóteses para o incidente, já que na semana passada três policiais militares foram assassinados em Belém.

"Sobre o envolvimento direto da dupla no crime, só a investigação poderá afirmar. Porém, de antemão, eles foram presos em flagrante por porte ilegal de armas e fraude processual, e devem ser incluídos no inquérito da chacina", explica o delegado geral da Polícia Civil, Alberto Teixeira. (Do Ver-o-Fato, com informações do G1 Pará e Dol)

Veja a relação completa dos mortos:

Márcio Rogério Silveira Assunção, 36 anos;
Samira Tavares Cavalcante, 36 anos;
Leandro Breno Tavares da Silva, 21 anos;
Meire Helen Sousa Fonseca, 35 anos;
Paulo Henrique Passos Ferreira, 24 anos;
Flávia Teles Farias da Silva, 32 anos;
Sérgio dos Santos Oliveira, 38 anos;
Tereza Raquel Silva Franco, 33 anos;
Maria Ivanilza Pinheiro Monteiro (dona do bar), 52 anos;
Samara Silva Maciel, 23 anos;
Alex Rubens Roque Silva, 41 anos.

Seis das onze vítimas assassinadas friamente. Grande maioria sem ficha policial




2 comentários:

  1. Carlos Mendes quanta eficiência da segurança pública... Bem, esperamos, daqui em diante, que isso seja a regra, pro bem de todos nós!

    ResponderExcluir
  2. É engraçado essas vitimas são maioria de pessoas de fisionomia asiáticas por que?

    ResponderExcluir