VER-O-FATO: AVISARAM O PRÍNCIPE? - Semas interdita empresa que poluiu com fezes e urina Rio Curuperê, em Abaetetuba

sexta-feira, 3 de maio de 2019

AVISARAM O PRÍNCIPE? - Semas interdita empresa que poluiu com fezes e urina Rio Curuperê, em Abaetetuba

Comunidades interditaram estrada em protesto contra a Minerva. Foto Dol
O fundo Saudi Agricultura and Livestock Investment (Salic), que é controlado pelo príncipe da Arábia Saudita, Bin Salman, não vai gostar dessa notícia, mas terá de engoli-la: a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) interditou a empresa Minerva Foods, de capital brasileiro, mas com 33% das ações nas mãos dos árabes, dona de uma fazenda onde confina 27 mil cabeças diárias de gado.

Motivo: ela descumpriu condicionante de licença ambiental e, por exercer atividade em desacordo com a Licença de Operação, foi punida com outros dois autos de infração. A empresa, localizada no km 12 da PA-151, em Abaetetuba.

Lá, a Minerva Foods construiu e utilizou, sem autorização da Semas, uma vala para escoar os dejetos dos animais no meio ambiente. O material sem tratamento chegou ao Rio Curuperê. A população foi para as ruas protestar, alegando respirar um fedor insuportável de urina e vezes de gado.


A Semas agora aguarda o resultado da análise da água para a confirmação técnica de poluição. Caso seja confirmada, a empresa pode receber uma terceira multa ambiental. A Minerva Foods tem prazo legal de 15 dias para se manifestar. O valor máximo previsto em legislação, para cada multa, é de cerca de R$ 5 milhões.

Dívidas em dólar

A Minerva fechou junho do ano passado com R$ 11 bilhões em dívidas, para R$ 4 bilhões de caixa. Os números estão especialmente pressionados pela desvalorização cambial, pois mais de 80% dos compromissos financeiros da empresa são em dólares.

Até junho de 2019, a empresa tem apenas R$ 2,7 bilhões em vencimentos. Mas a alta contínua do dólar tem prejudicado os indicadores de saúde financeira. Piora que deve ser registrada mais uma vez no balanço de setembro, uma vez que capitalização só será concluída em novembro. 

Ou seja, para reduzir suas dívidas, ela teve de aceitar os árabes como sócios.

Fonte: do Ver-o-Fato, com informações da Semas e Beef Point.



Nenhum comentário:

Postar um comentário