VER-O-FATO: Conselho Nacional do MP manda arquivar PAD contra Medrado e Brasil, que denunciaram Jatene e o filho à Justiça

Reservas de ingressos

Reservas de ingressos
Clique na imagem, preencha o formulário e garanta seu ingresso

terça-feira, 26 de março de 2019

Conselho Nacional do MP manda arquivar PAD contra Medrado e Brasil, que denunciaram Jatene e o filho à Justiça

O processo ganhou decisão final, a favor de Medrado e Brasil
O procurador de Justiça do Ministério Público do Pará, Nelson Medrado, e o promotor militar Armando Brasil, conseguiram vitória definitiva e por unanimidade, hoje pela manhã em Brasília, durante julgamento no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) do processo administrativo disciplinar, o PAD, aberto contra ambos pela corregedoria-geral do MP. A razão desse PAD, que se arrastava por mais de dois anos, se refere à denúncia que Medrado e Brasil fizeram à Justiça contra o filho do governador Simão Jatene, Alberto Jatene, e contra o próprio governador, por irregularidades no que ficou conhecido como "Caso Betocard".

Além de pai e filho, também foram denunciados outros servidores públicos envolvidos no abastecimento de viaturas do Estado em postos de combustíveis de "Beto Jatene". O prejuízo aos cofres públicos, segundo a denúncia, alcançou R$ 5 milhões por ano. O então governador teria aprovado a participação do filho na licitação para que ele fornecesse combustível ao Estado, principalmente às viaturas da Polícia Militar.. 

Simão Jatene não gostou da denúncia e pediu à Procuradoria-Geral de Justiça do MP paraense para que abrisse processo contra Medrado e Brasil, sendo prontamente atendido. O governador alegou que a dupla de fiscais da lei não tinha delegação do procurador-geral para entrar com processo contra ele. No julgamento de hoje, porém, os conselheiros do CNMP entenderam que Medrado e Brasil "não agiram de má fé, o que afasta a suposta infração disciplinar" contida no tal PAD.

Um conselheiro do CNMP, Gustavo Rocha, já em setembro do ano passado, durante apresentação de seu voto, chegou a lamentar que o MP estadual estivesse "contaminado por influências políticas". A decisão de arquivar definitivamente o PAD foi comemorada por Medrado e Brasil. Ambos avaliam a possibilidade de ingressar com um processo judicial contra o agora ex-governador Simão Jatene por tudo o que sofreram nesses anos de disputa. Alegam que o que fizeram foi apenas cumprir seus deveres funcionais na defesa do interesse público e da moralidade administrativa. 

Veja, abaixo, o que diz no voto o conselheiro Luciano Nunes Maia Freire, seguido à unanimidade pelo plenário do CNMP:






5 comentários:

  1. Só falta mandar prender o corregedor do MP e procurador geral do ministério público, por ter seguido as ordens do ex governador Tucanalha corrupto Jateve.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns aos procuradores de justiça Nelson Medrado e Armando Brasil destemidos membros do Mp! Vocês representam a sociedade ao contrário da maioria dos membros que são covardes!

    ResponderExcluir
  3. O Curioso é que em Roraima o filho da governadora Sueli Campos foi preso por fornecer quentinhas para o governo do estado ao contrário do Pará onde quem investiga o filho do governador acaba sendo processado com a conivência dá cúpula do ministério público! Vai entender!

    ResponderExcluir
  4. Para fazer justiça de verdade, espeto que o procurador Medrado e o promotor Armando Brasil,entre com processo contra o Tucanalha Jateve e seu filho, que alias ja tem experiência na cadeia.

    ResponderExcluir
  5. Outra derrota da tucanalha!

    ResponderExcluir