VER-O-FATO: Previdência estadual: sem reforma, ela quebra de vez

domingo, 24 de fevereiro de 2019

Previdência estadual: sem reforma, ela quebra de vez


A Previdência estadual – bancada pelo contribuinte – é um buraco de tamanho cada vez maior. É preciso encontrar uma solução para evitar que a crise se aprofunde. No governo Jatene, ele se preocupou mais com os servidores da ativa, para não atrasar o pagamento dos salários.
 

Enquanto isso, o caixa da Previdência, que já havia batido no limite, começou a sangrar. O governador Helder Barbalho encara o problema com preocupação. Algo precisa ser feito. É inadiável. O problema, porém, não é fazer, mas como fazer.

O desequilíbrio entre os servidores ativos e os inativos e pensionistas, quando o assunto é dinheiro na boca do caixa, no final do mês, está pior que lençol de pobre: só dá para cobrir do ombro até o joelho. Os pés e a cabeça, faz tempo, ficam de fora. 

Em 2017, a despesa do governo do Pará com pessoal era de R$ 720 milhões por mês para 150 mil servidores. Desses, 114 mil são ativos e outros 36 mil, inativos. Hoje, se aproxima de R$ 800 milhões. 
Se a arrecadação não subir... pum.

4 comentários:

  1. O ex governador Tucanalha corrupto Jateve,ao contrário do que fala na matéria, não se preocupou com nada nesse Estado .
    Uma prova disso é a pedalada que resultou num rombo de 1,5 bilhão nas contas do Estado.E pasmem senhores o ex governador Tucanalha corrupto disse que gastou as economias do ano anterior e gastou tudo que podia no ano passado e justo no ano eleitoral.E para completar a aberração tanto o tribunal de contas como a Assembleia legislativa do Pará, na presidência do candidato poste dele aprovaram suas contas.E vocês da imprensa até agora nada falam apenas ficam empurrando os problemas de uma dinastia de duas décadas do ex governador Tucanalha corrupto Jateve.Sejam mais imparciais em suas matérias e divulguem os escândalos deixados pela péssima gestão tucana em nosso Estado!

    ResponderExcluir
  2. Os tribunais (tje,tce,tcm), o MP, a PGE, os Coronéis, os delegados carregam 90% das polpudos aposentadorias. Quanto a nós médicos que estudamos e nos dedicamos a salvar vidas, nosso salário base é apenas 1.800 reais, e quando aposentamos é um drama. Imaginem os aposentados de outras categorias. Terrível , para não dizer trágico.

    ResponderExcluir
  3. Na verdade o servidor estadual e quem financia a previdência estadual e para quem não sabe até aposentado ainda desconta para o igeprev

    ResponderExcluir
  4. Ô governador Hélder Barbalho, chama a PGE, o MPE, a Sefa, o raio que o parta, e pede pra reanalisarem essas graciosas isenções fiscais concedidas pelo ex-governador.
    Se não resolver 99,99% das contas públicas pede pra fechar o estado e vamos invadir a Venezuela...

    ResponderExcluir