VER-O-FATO: Jardel, que serviu a Jatene e Helder, é um dos presos pela PF no escândalo de fraudes do caso UFRA

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

Jardel, que serviu a Jatene e Helder, é um dos presos pela PF no escândalo de fraudes do caso UFRA


Afinal, qual é o santo forte que protege Jardel Rodrigues da Silva, preso hoje pela Polícia Federal com outras 5 pessoas investigadas por envolvimento com uma quadrilha que desviou R$ 25 milhões da Fundação de Apoio à Pesquisa, Extensão e Ensino em Ciências Agrárias (Funpea), da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra)? Ex-superintendente da Funasa no Pará, Jardel foi ouvidor-geral do Estado no governo de Simão Jatene e chefe da Casa Civil interino - o titular é Parsifal Pontes - do governo Helder Barbalho, onde atuava (veja portarias abaixo).

Jardel: cargos elevados nos governos de Jatene e Helder
A Funasa fazia repasse de recursos à Funpea. Portanto, a investigação da PF sobre fraudes e desvio de recursos se refere ao período em que Jardel comandava a Funasa, indicado pelo deputado Chapadinha e nomeado pelo então ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, durante o governo. Temer. No governo de Jatene, o agora preso Jardel deixou a ouvidoria-geral para candidatar-se a um mandato eletivo de deputado, mas não obteve sucesso. 

Segundo o chefe da Controladoria Geral da União no Pará (CGU), Fábio Braga,os recursos foram desviados de repasses da Funasa e Superintendência de Desevolvimento da Amazônia (Sudam) e Ministério da Integração Regional para elaboração e implantação de projetos de fomento de avicultura, piscicultura, agricultura e para obras de saneamento básico em diversos municípios do estado.

Exonerado amanhã

Em nota enviada ao Ver-o-Fato, o Governo do Pará informa que Jardel Rodrigues da Silva, investigado na operação da Polícia Federal, é lotado na Casa Civil da Governadoria, "mas não exerce, atualmente, o cargo de chefe em exercício".  Diz a nota que ele exerceu o cargo apenas nos dias 14 e 15 de fevereiro deste mês. 

"Nas edições dos dias 15 e 18 de fevereiro do Diário Oficial do Estado, foram publicados atos assinados pelo servidor como chefe em exercício, mas esses atos são referentes aos dias 14 e 15, já que as publicações saem sempre no dia seguinte". 

Ainda de acordo com a nota, os fatos referentes à investigação da Polícia Federal "em nada envolvem o governo do Estado, já que dizem respeito ao período de 2014 a 2018. O Governo do Pará informa que a exoneração de Jardel Rodrigues da Silva será publicada na edição desta quinta-feira (28) do Diário Oficial do Estado. A medida reitera o compromisso com a ética e lisura dos servidores públicos que compõem a estrutura da administração estadual".

Outros presos

Durante a operação na UFRA, a Polícia Federal, além de Jardel Rodrigues da Silva, cumpriu ordens de prisão da 4ª vara Federal de Belém dos investigados e servidores da UFRA e Funpea, Ildenir do Carmo Vaz Vasques Silva, Carlos Albino de Figueiredo de Magalhães, Benedito Gomes dos Santos Filho, Wilson José de Melo e Silva, Jandira Pires Bessa e Joely Patrícia Machado de Oliveira. 

Além das prisões, foram expedidos outros onze mandados de busca e apreensão de documentos na Funpea e em casas dos investigados. As prisões são temporárias, com prazo de cinco dias. Se a PF entender que os presos podem atrapalhar as investigações ou coagir eventuais testemunhas, ela pode solicitar à Justiça Federal a preventiva dos envolvidos no rolo.




4 comentários:

  1. Caro repórter, para saber mais sobre a operação Saldo zero ,leia meu blog.
    Www.olhodilince.com

    ResponderExcluir
  2. Essa mania de se dar bem é que acaba com nosso país. Aqui no meu estado a corja do MDB sangrou e vilipendiou a todos nós. O governador de vcs amparou outra figura que aprontou muito. Ele faz parte de seu primeiro time. Quando o Pezão botar a boca no mundo, como está fazendo o Cabral, o intrépido secretário ai de Vcs, deve gastar os tubos para escapar da prisão .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo adorador de Tucanalha!Quer um conselho aceita a vitória do Hélder que dói menos!

      Excluir
  3. Esse ou essa que assina como Revoltado, deve ser um dos muitos Assessores III, desse governo do MDB, com salário de mais de 6 mil reais, pra não fazer nada, além de ser mais um cabide de puxa saco.

    ResponderExcluir