VER-O-FATO: Humilhação, desumanidade: idoso doente faz "prova de vida" em cima de maca, na Caixa Econômica Federal de Bragança

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

Humilhação, desumanidade: idoso doente faz "prova de vida" em cima de maca, na Caixa Econômica Federal de Bragança



Um país injusto, sobretudo com os mais pobres, tratados com humilhação, desumanidade e descaso pelo poder público. Um senhor doente, de acordo com vídeo que circula pelas redes sociais, foi obrigado, ontem, a fazer a "prova de vida", exigida pelo INSS, levado sobre maca, até a agência da Caixa Econômica Federal (CEF), no município de Bragança, região nordeste do Pará.


As vítimas desse grotesco episódio:   As pessoas que passaram por este constrangimento são: João Protázio, o idoso; Maria do Socorro, filha do casal de idosos; e Francisca dos Santos, idosa. Todos são da zona rural de Bragança, distrito de Areia Branca. Infelizmente, até agora não foram divulgados os nomes dos servidores da CEF envolvidos no vexame.

A família explicou que o cidadão não poderia comparecer ao prédio devido o estado de saúde dele, mas a Caixa não aceitou a alegação. Ele perderia o benefício do INSS e não poderia receber o pagamento do mês. E lá se foi ele, levado de ambulância, com a esposa ao lado, submeter-se ao constrangimento e humilhação, diante dos olhares atônitos dos clientes.

Os burocratas da Caixa só ficaram satisfeitos depois que o cidadão, mesmo naquele estado de saúde, provou que ainda continua vivo.

É o Estado Brasileiro, o maior dos criminosos, a serviço da crueldade humana, que parece não ter limites. Registre-se que isso não é de agora. Vem desde os governos de FHC, Itamar Franco, Lula, Dilma, Temer e agora Bolsonaro, que isso ocorre. E nada muda. Ou muda para continuar como está. Ou seja, cada vez pior.

Veja alguns comentários nas redes sociais:
  
"Bom dia. Galera, acabei de presenciar uma cena horrível agora a pouco aqui na Caixa Econômica de Bragança. Um senhor veio fazer a prova de vida na maca pq estava sem condições de sair de casa, mas teve q vim assim mesmo. Os familiares pediram q algum funcionário viesse vê-lo dentro da ambulância, mas nenhum puderam levantar de seus assentos pra vim até a ambulância" (O senhor é meu pastor).

"Estou vendo a hora dos idosos em suas cadeiras de roda... macas e seus familiares irem as ruas e pedir também a reforma dos benefícios políticos e suas bizarras vantagens... eles alegam q o sistema econômico vai quebrar... Mas não largam mão de seus honrosos benefícios. Que o Bolsonaro e sua simples caneta bic   também possa ter clareza e coerência em mirar nessa questão... votei nele e espero que trilhe uma luz nessa buraco sem fim". (Rita Moreira)

Um comentário:

  1. Trata-se de nescividade da família, que pode apresentar uma procuração pública junto ao INSS, e assim o procurador poder fazer a prova de vida, sem a presença do beneficiário titular.

    ResponderExcluir