VER-O-FATO: A culpa é da má gestão, não do servidor

domingo, 24 de fevereiro de 2019

A culpa é da má gestão, não do servidor


A Vale enche as burras com as riquezas do Pará e deixa o apito do trem

Quem trabalhou a vida inteira como servidor público e hoje veste pijama já fez seu sacrifício em favor do estado. Portanto, não é dele a culpa, mas da má gestão do governo. O mal é nacional. Há estados onde as contas explodiram, o que ainda não é o caso do Pará.


O descompasso aumenta em velocidade superior ao do crescimento da economia brasileira. Nos últimos 10 anos, o deficit das Previdências estaduais passou de 0,8% do PIB para 1,2%. 
E daqui a 10 anos, cerca de 40% dos servidores da ativa estarão aposentados. Inclusive no Pará. Ou se faz uma reforma agora ou lá na frente a explosão será enorme.

O crescimento da receita, nas condições em que vive o Pará hoje, mal dá para cobrir as despesas. O modelo econômico também não ajuda, porque distribui privilégios para grandes grupos e sacrifícios para as pequenas empresas.

E ainda tem a criminosa e famigerada Lei Kandir, o assalto à mão armada praticado pela União, que não devolve ao estado o que dele é tirado com as isenções na exportação de suas riquezas. 

5 comentários:

  1. Divirjo em alguns pontos dos seus comentários. Por exemplo, o governo federal faz com os paraenses o que os senadores e deputados federais paraenses, eleitos pelo povo paraense, autorizaram e continuam autorizando (aprovaram em votações) o poder federal a fazer. Ficar chorando o leite derramado não trará o dinheiro de volta. Você poderia ajudar lembrando ao povo paraense como foi que seus representantes votaram quando o tema era Lei Kandir. Aí, nós vamos saber direitinho como foi que figurinhas conhecidas do povo do Pará protegeram os seus interesses pessoais e desprezaram os interesses o povo paraense.

    ResponderExcluir
  2. Isto foi dito em outras postagens e sempre é lembrado pelo blog quando a crítica é feita aos que por interesses fisiológicos abdicaram de defender o Pará em Brasília. Veja que o histórico do Ver-o-Fato, apesar da curta existência de 3 anos e 6 meses, sempre foi a defesa ostensiva dos interesses do Pará, batendo nos omissos e coniventes com a exploração que sofremos.

    ResponderExcluir
  3. Carlos Mendes tu sabes dizer quanto de dinheiro nosso estado isenta as empresas que aqui exploram seus recursos naturais?
    Li ontem que alguém falou sobre o fim da isenção de impostos das petrolíferas estrangeiras, herança do lamentável Michel Temer, como uma das soluções para amenizar o problema da previdência.
    Como isso poderia contribuir aqui no estado?
    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. É um valor incalculável, Marcos Paulo. No governo do jatene ele deu R$ 7,5 bilhões de isenções à Hydro e na SEFA havia os famigerados atos secretos, com 1.200 empresas, gigantes e médias, que foram beneficiadas pelas isenções. Claro que representa uma anemia profunda aos cofres do estado. Resumo: o Pará é bilionário, mas seus governantes mantém o povo na miséria e na mapipulação política.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos Mendes, já escrevi e apaguei umas 7 linhas. Mas deixa isso pra lá.
      Um dia esses caras ainda irão pagar por isso!!!

      Excluir