VER-O-FATO: Ministro anuncia construção de 3 novas ferrovias, mas nem fala no Pará: e aí, Helder?

segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

Ministro anuncia construção de 3 novas ferrovias, mas nem fala no Pará: e aí, Helder?


O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, anunciou em um vídeo (acima) publicado nas redes sociais do ministério, no último sábado, que o governo planeja lançar três novas concessões de ferrovias até o início de 2020, num “programa ambicioso, mas possível”. O primeiro trecho a ser concedido, em março, deverá ligar Porto Nacional, no Tocantins, a Estrela D’Oeste, em São Paulo, integrando uma conexão entre os portos de Itaqui (MA) e Santos (SP).

As outras duas concessões devem ser realizadas ainda em 2019 ou até o início de 2020, segundo Gomes de Freitas. Uma, na chamada Ferrovia de Integração Oeste-Leste, deverá ligar Caetité ao Porto de Ilhéus, na Bahia. A outra, compõe uma linha chamada Ferrogrão, em Mato Grosso. No vídeo, o ministro disse ainda que pretende realizar a prorrogação antecipada de trechos já concedidos, sendo que as outorgas devidas em decorrência da medida poderão ser pagas pelas concessionárias por meio da construção de novos segmentos ferroviários, cuja propriedade deverá ser da União.

A primeira ferrovia a ser construída dessa forma vai ser a de integração do Centro-Oeste, segundo o ministro. A previsão é que o trecho ligue Água Boa, em Mato Grosso, a Campinorte, em Goiás. “Com essas ações, a participação do modus ferroviário na matriz de transporte deve dobrar até 2025”, disse Gomes de Freitas no vídeo, que foi compartilhado pelo presidente Jair Bolsonaro em seu perfil oficial no Twitter. 

E nós, comendo moscas?

Pelo silêncio sepulcral do governador do Pará, Helder Barbalho, da bancada federal na Câmara e Senado, sobre o vídeo do ministro, nosso estado está fora dos planos ferroviários do governo Bolsonaro. Aliás, o ministro Tarcísio de Freitas nada disse sobre a tal ferrovia paraense, cujo "braço" da ferrovia Norte-Sul, ou "ferrovia do Sarney", como é mais conhecida, passaria dentro do território do Pará, indo até Barcarena, para que o minério de ferro, soja e outras riquezas, sejam exportados pelo Porto de Vila do Conde. 

E a tal ferrovia chamada Fepasa, ou "ferrovia do Jatene", idealizada pelo ex-secretário tucano de governo, Adnan Demachki? Pelo visto, também dançou. Depois dessa, dá para concluir o seguinte: o Pará continua sem força política em Brasília.

Então, por que a Vale, que apita até em velório no Pará, não constrói o "braço" da ferrovia Norte-Sul, como contrapartida à renovação da concessão da ferrovia de Carajás, que ela explora há 30 anos, auferindo lucros astronômicos? 

Com sugestão do Ver-o-Fato, a palavra está com o governador Helder Barbalho.   (Do Ver-o-Fato, com informações da Agência Brasil)


3 comentários:

  1. Esse ministro do governo facista e igual ao mandataman dele anuncia uma coisa depois volta atrás.Vejo o caso da justiça do trabalho que o predidepre facista disse que ia acabar, bastou os juízes se mobilizaram ele já veio dizer que não vai acabar com a justiça do trabalho.
    E assim será com essa famigerada reforma da previdência, que ao contrário do falou a sua convidada do programa linha de tiro passado, os trabalhadores vao sim mobilizarem contra ela.
    Portanto, não se preocupe pois o que esse presidente facista diz não podemos acreditar!

    ResponderExcluir
  2. Como levar a sério um Governo que está trazendo do sepulcro o ex prefeito de Castanhal, com mais de 70 anos de idade, para chefiar o Núcleo Regional da SETRAN daquela cidade? O viés desse governo é a velha política dos que já estavam de pijama e agora renascem das cinzas. Começou muito mal.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo de 22.01.19 11:28, vc é muito preconceituoso com os idosos! Se vc é jovem saiba que vc tem dois caminhos só na vida: o envelhecimento ou a morte! A escolha é sua!

    ResponderExcluir