VER-O-FATO: Hydro construiu barragem em área de proteção de comunidades com ordem de Jatene

segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

Hydro construiu barragem em área de proteção de comunidades com ordem de Jatene

Mapa atualizado que prova invasão da área de proteção pela Hydro. Fonte: CPI da Alepa
Ismael Moraes – advogado socioambiental*

Uma grande área de 2.500 hectares de floresta e de nascentes faz parte do Projeto do Distrito Industrial de Barcarena, criado por lei e por decreto em 1978, como Área de Proteção Ambiental para servir de amortecimento dos impactos potenciais que a planta industrial da Alunorte /Albrás poderiam causar às comunidades circundantes.


Para garantir que a proteção de comunidades por meio dessa Reserva Ecológica fosse mantida inalterada, o governo, em 1981, impôs essa condição na escritura pública de venda e compra e outras avenças, lavrada nas notas do Cartório Conduru, Livro nº 20-B, Fls. 169/172, do 4º Ofício de Notas e no Cartório de Registro de Imóveis do 1º Ofício da Comarca de Belém.

Em 2015, Jatene fez o que nenhum governo até então havia feito – e nem a proprietária anterior, a Vale, com toda a sua longa folha corrida de delinquências, tivera coragem de pedir: autorizou que a Norsk Hydro construísse a barragem DRS2 sobre essa Área de Proteção. E deu essa autorização para que a gigantesca barragem fosse erguida a apenas 80 metros da comunidade Bom Futuro e a cerca de 200 metros da Vila de Itupanema. A DRS2 tem altura de mais de 50 metros, como a de um prédio de 25 andares.

Ou seja, o ato de Jatene é ilegal não apenas por que autorizou a construção em Área de Proteção instituída por lei e sacramentada em Cartório. O ato de Jatene constitui crime contra a humanidade por que banaliza a vida de centenas de famílias: a construção da barragem foi autorizada praticamente sobre as casas, e o rompimento da barragem DRS2 seria implacável; ninguém escaparia, e tudo seria engolido por lama em poucos minutos.

Em três ações, duas na Justiça Estadual e uma na Federal, as comunidades de Barcarena por meio da associação Cainquiama pedem que a barragem DRS2 seja desfeita e recomposta a floresta cuja devastação Jatene autorizou. A Procuradoria Geral do Estado do Pará, estando à frente o advogado Ophir Cavalcante Jr., defendeu e segue defendendo os interesses da Hydro Alunorte, afirmando que as comunidades não tem direito a ter a Área de Proteção por que uma Lei Municipal de Barcarena transformou a Reserva Ecológica em “área industrial”, e que deve ser mantida a barragem no mesmo lugar onde está, a poucos metros das casas.

A lei estadual instituiu a Reserva Ecológica como parte da concepção do Projeto do Distrito Industrial de Barcarena justamente como instrumento de redução de impactos. E o artigo 225, §3º da Constituição Federal garante que quando a lei estadual que institui, é a lei estadual que revoga. Bruno Milanez, pesquisador de Política de Mineração e Meio Ambiente da Universidade Federal de Juiz Fora /MGEngenheiro de Produção e doutor em Política Ambiental da Mineração, afirma em entrevista concedida hoje ao site Folha Uol (https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2019/01 /um-novo-rompimento-de-barragem-era-questao-de-tempo-afirma-pesquisador.shtml), que a distância mínima entre barragens e comunidades deve ser de 10 km.

* Twitter @ismaeladvogado

4 comentários:

  1. Tudo isso sob as vistas do Mp do Estado do Pará comandado pelo tucanalha Gilberto Martins que nada faz para conter as ganancias da Hydro! Lamentável mesmo!

    ResponderExcluir
  2. Carlos Mendes, vai que o Hélder queira dar um pau no Jatene e vá pra cima da Hydro, verificando a questão ambiental (leia licenciamento e vistorias da Semas, etc) e a isenção fiscal (xiiii...).
    E o dr. Gilberto Valente? Sinucaço de bico!!! Vixe...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esquece amigo,no Brasil e no Pará prevalece quem têm recursos financeiros e Jatene têm de sobra!Simples! Sem falar nas suas refinadas amizades dentro meio jurídico e político!

      Excluir
  3. Então,o culpado maior dessas tragédias é o casado e exonerado Jatene.Agora como fica?

    ResponderExcluir