VER-O-FATO: Bombeiros confirmam 9 mortes e 300 estariam desaparecidos: o saldo da catástrofe em Brumadinho

sábado, 26 de janeiro de 2019

Bombeiros confirmam 9 mortes e 300 estariam desaparecidos: o saldo da catástrofe em Brumadinho


Resgate de vítimas e a dimensão da tragédia: quem pagará por isto?
Pouco mais de três anos depois da tragédia de Mariana, uma barragem da mineradora Vale se rompeu e outra transbordou em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte. Uma enxurrada de rejeitos de minério de ferro arrastou prédios da empresa e casas da comunidade de Vila Ferteco - o restaurante onde funcionários almoçavam na hora do acidente foi soterrado. Segundo o presidente da Vale, Fabio Schvartsman, a barragem era considerada de “baixo risco” para rompimento.
 
Familiares de trabalhadores da Vale tentam fazer buscas por conta própria. Na manhã deste sábado (26) eles tentavam ter acesso a mina. Bem próximo ao vilarejo Tejuco, os parentes encontraram uma passagem aberta pela mineradora. Abertura esta que deveria ser utilizada apenas por funcionários nas buscas.

Carlos Franco, de 40 anos, está em desespero. Ele busca pela mulher, Lenilda Cardoso, gerente do restaurante da mina. O casal está juntos há 20 anos. "Minha filha, de 4 anos, perguntou onde está a mãe. O que eu digo para ela?", lamentou. "Primos, amigos de infância, estão todos aí", concluiu.
NOVOS RISCOS

O risco de rompimento de uma segunda barragem de água levou a Defesa Civil a suspender as buscas e evacuar as áreas atingidas pela lama e duas comunidades ribeirinhas. A decisão foi tomada de madrugada. Agora, novas equipes são esperadas, de acordo com equipes de resgate que trabalharam no local. Elas vão trabalhar na contenção. Um grupamento do exército de Juiz de Fora também é aguardado e deve assumir a tarefa de retirada dos corpos por decisão do governo. Na região, fala-se em até 500 mortos.

Os corpos estão sendo levados para um edifício próximo à UPA de Brumadinho. Na UPA, estão também alguns dos feridos.A empresa disponibilizou também atendimento telefônico à população, assim como ações de uma equipe de assistentes sociais e psicólogos para atendimento dos atingidos e de seus familiares. Os números para contato são: 0800 285 7000 (Alô Ferrovia - prioritário) e 0800 821 5000 (Ouvidoria da Vale). 

Os números podem ser ainda maiores. Nesta manhã, a Vale divulgou em seu site uma lista com os nomes de funcionários com os quais não se conseguiu contato até o momento. São 413 trabalhadores, dos quais 90 são terceirizados, de acordo com as informações divulgadas às 9h. A lista está sendo atualizada em tempo real, conforme as pessoas são localizadas. Em nota divulgada para a imprensa na manhã deste sábado, 26, o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais confirmou que nove pessoas morreram no desastre ocorrido nesta sexta-feira, 25, em Brumadinho, após o rompimento de uma barragem da Vale na região. 

Segundo as estimativas, 300 pessoas estão desaparecidas e 189 já foram resgatadas. No entanto, existe uma discrepância na divulgação do número de mortos e desaparecidos feita pelo Governo de Minas, que confirmou, na noite desta sexta-feira, sete mortos e 150 desaparecidos. Fonte: Estadão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário