VER-O-FATO: BNDES abre "caixa preta " e divulga listão dos maiores devedores: Vale e Norte Energia entre os primeiros

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

BNDES abre "caixa preta " e divulga listão dos maiores devedores: Vale e Norte Energia entre os primeiros

A "caixa preta" foi aberta. Veja no final da matéria o listão dos 50 maiores devedores

A Vale, que explora o minério de ferro do Pará e aufere lucros astronômicos, enquanto o Estado patina na pobreza, violência desenfreada e é vítima de graves crimes ambientais, está entre as quatro maiores empresas devedoras do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O terceiro lugar é de outra gigante que também mantém altos negócios no Pará, a Norte Energia, que administra as hidrelétricas de Belo Monte e Tucuruí.
A Vale deve aos BNDES R$ 22,4 bilhões; a Norte Energia, R$ 25,3 bilhões. O primeiro lugar, disparado entre os maiores devedores, é a Petróleo Brasileiro S/A (Petrobrás), com R$ 62,4 bilhões; o segundo lugar é da Embraer - fabricante de aviões -, que deve R$ 49, 3 bilhões. O Estado de São Paulo é destaque entre os 10 maiores devedores, mas outros entes federativos, como Rio de Janeiro, Ceará, Maranhão, Santa Catarina, Espírito Santo e o município do Rio de Janeiro também aparecem entre os endividados com o banco estatal.

Entre os contratos disponíveis na lista estão ainda os projetos na Argentina, Paraguai, Peru e Venezuela, Honduras, Equador, Costa Rica, Guatemala, México, República Dominicana e Cuba, Angola, Gana e Moçambique, alguns destes favorecidos durante os governos do PT. Há também grandes empresas enroladas na Lava Jato, como Odebrecht, Andrade Gutierrez, JBS e Braskem, além da operadora de telefonia OI e estatais como Banco do Brasil e Caixa Econômica.

Na verdade, a "caixa preta", foi quebrada hoje e tem os números dos 50 maiores devedores divulgados. O o site do BNDES está travado desde o começo da manhã de hoje, devido ao congestionamento. Na lista, o BNDES indicou todas as operações realizadas nos últimos 15 anos com essas empresas. O banco público criou uma página para organizar as informações que estavam disponíveis de forma fragmentada e de difícil acesso. Os dados estão agora concentrados em um único link.

Método e dados


De acordo com o BNDES, os dados sobre esses 50 grandes clientes já estavam no site. Entretanto, as informações estavam divididas em várias páginas e separadas por linhas de financiamento. Uma divisão que deixava as informações disponíveis de difícil acesso “para a maioria das pessoas”. Segundo o banco, é a “primeira vez” que esses dados são disponibilizados ao público “neste formato”. Para o BNDES, o objetivo dessa unificação de dados é “tornar a navegação mais amigável e acessível”.

Segundo o banco, é necessário conferir mais transparência e facilitar ao público entendimento sobre suas operações e investimentos. “Apesar da variedade de informação que o banco tem disponibilizado nos últimos três anos, há uma percepção de que os dados frequentemente estão disponíveis de uma maneira difícil para a maioria das pessoas”, informou o BNDES em nota. “A disponibilização da lista, com acesso a um grande número de detalhes de cada operação, é parte do esforço de transparência que o Banco tem feito e que deve ser a marca das suas ações sempre”.

A página do BNDES onde foram inseridos os dados permite ao usuário diversas análises. É possível visualizar cada operação efetuada com os 50 maiores tomadores de recursos dos últimos 15 anos (2004 a 2018). Além disso, estão disponíveis análises trienais que mostram os principais clientes por período. E mais: a nova página permite identificar se os recursos emprestados do BNDES foram empréstimos ou investimento em renda variável. O BNDES, além de fornecer crédito, também compra ações e entra na estrutura societária das empresas em operações realizadas através de seu braço operacional, o BNDESPar.

A intenção de publicar os dados do BNDES tinha sido antecipada pelo novo presidente do banco, Joaquim Levy. Em seu discurso de posse, realizado no começo de janeiro, Levy salientou como esses dados já estavam disponíveis no site, mas em um formato “difícil para a maior parte das pessoas entender”.

Bolsonaro comemora decisão

Em sua conta no Twitter, o presidente da República, Jair Bolsonaro, comentou a decisão do BNDES. “Ainda vamos bem mais a fundo! BNDES divulga interessante link identificando os países que usaram os recursos financeiros do Brasil e os motivos dos empréstimos. Tire suas conclusões”, escreveu Bolsonaro. O então candidato do Partido Social Liberal (PSL) tinha prometido durante sua campanha eleitoral de “abrir a caixa preta do BNDES”.

Bolsonaro acusou várias vezes os governos anteriores de utilizar o banco para operações ilegais. Por isso, ele prometeu que iria aumentar a transparência das operações do banco. Petrobras lidera os empréstimos Desde 2004, o maior cliente do banco é a Petrobras, com R$ 62,429 bilhões e empréstimos concedidos. Segue a Embraer, com R$ 49,377 bilhões, a Norte Energia, com R$ 25,338 bilhões, a Vale com R$ 22,489 bilhões e a construtura Odebrecht com 18,133 bilhões.

Entretanto, no período 2016-2018 os maiores tomadores de recursos do BNDES foram: Embraer SA Xingu Rio Transmissora de Energia Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul Fibria Celulose SA Belo Monte Transmissora de Energia SA.

Contratos no exterior

Além dos 50 maiores clientes, o BNDES divulgou também informações sobre os contratos de exportação de bens e serviços. Também estão listados os financiamentos a serviços de engenharia para projetos em outros países. Entre os contratos disponíveis estão os projetos na Argentina, Paraguai, Peru e Venezuela, Honduras, Equador, Costa Rica, Guatemala, México, República Dominicana e Cuba, Angola, Gana e Moçambique.

 Aqui, os devedores:



Um comentário: