VER-O-FATO: Projeto obriga prefeito a prestar contas à Justiça sobre situação da cidade seis meses antes das eleições. Te cuida, Zenaldo.

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Projeto obriga prefeito a prestar contas à Justiça sobre situação da cidade seis meses antes das eleições. Te cuida, Zenaldo.

Se no centro está cheio de buracos, imagine aqui, na abandonada Tenoné

De acordo com o texto, o relatório deverá ter informações sobre as receitas e despesas do município, convênios e parcerias atuais, e dados relativos aos recursos para saúde, saneamento e educação. Isso é o que prevê um projeto (PL 8465/17) que obriga prefeitos a apresentarem à Justiça Eleitoral um relatório detalhado sobre a situação econômica e financeira de sua cidade, seis meses antes das eleições municipais.


Segundo o autor do projeto, o deputado Eduardo Cury, do PSDB de São Paulo, o objetivo é contribuir para a transparência pré-eleitoral e oferecer um debate mais claro para a população. "Se uma prefeitura está quebrada, em situação financeira de penúria, os candidatos, sabendo dos números, eles vão para o debate propondo como se fazer essa recuperação".

Se você tem por outro lado uma prefeitura financeiramente bem equilibrada, os candidatos podem ir para a eleição discutindo como vão fazer novos investimentos, como vão ampliar os programas sociais, e assim por diante", justifica.

O que não pode, diz Cury, é a situação de hoje, em que o prefeito esconde esses números e na campanha eleitoral, se promete coisas que são impossíveis de serem conseguidas no dia seguinte, porque o ganhador assim que senta na cadeira descobre que a situação da prefeitura é absolutamente insolvente".

Para garantir isso, a proposta estabelece que os candidatos devem declarar conhecimento do relatório assim que registrarem suas candidaturas. Cury garante que o projeto não traz nenhuma burocratização e que o trabalho de elaboração do relatório será simples.

"São grande números, números muito importantes, mas em quantidade pequena. Somente os grandes números para não criar uma dificuldade muito grande para quem está no poder ter que parar toda a administração para fazer esse levantamento, de forma que com esses dados seja fácil o debate eleitoral."

A proposta altera a Lei de Acesso à Informação (Lei 12.527/11) e também prevê penalização para os prefeitos que não divulgarem o relatório ou apresentarem dados que não sejam verdadeiros. O projeto que exige prestação de contas antes da eleição municipal já foi aprovado pela Comissão de Trabalho e segue para análise da Comissão de Constituição e Justiça.

Em Belém, por exemplo, Zenaldo não será candidato - nem pode mais, pela lei - à releição, em 2020, mas vai querer eleger um sucessor. Então, que seja transparente antes que seja tarde.

Aliás, muito tarde.

3 comentários:

  1. E tu achas que o pior prefeito de Belém dos últimos tempos o corrupto e cassado zenada,vai prestar alguma informação a justiça? Então voce acredita em papai Noel!
    Meu caro blogueiro, a justiça do Brasil e do Pará não alcança os Tucanalhas!

    ResponderExcluir
  2. Nem pensar em um filhote de serpente do atual governo, pra quer será, que é para destruir o resto da cidade, tanto esse como os vereadores que são base aliada a ele, não deverão mais ser eleitos na próxima eleição, os mesmos, não fazem nada por Belém e nem pela população, então não devem na próxima eleição 2020 para vereadores

    ResponderExcluir
  3. Na época da campanha eleitoral, esse prefeito que está aí de plantão prometeu os 3s, lembram?. S da saúde, S do saneamento, S da segurança. Em Qual dos 3s esse indivíduo investiu de fato?, nenhum!, não fez absolutamente nada por essa cidade em seis anos, já foi cassado, comprou vereadores de Belém pra engavetar a CPI do BRT, o pior de tudo é que a população da capital vai ter que aturar por mais dois anos O PIOR PREFEITO DA HISTÓRIA DE BELÉM CHAMADO ZENALDO COUTINHO.

    ResponderExcluir