VER-O-FATO: "Noruegueses têm que aprender com Brasil sobre preservação ambiental", diz Onyx. Tem razão: a Hydro está acabando com o Pará

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

"Noruegueses têm que aprender com Brasil sobre preservação ambiental", diz Onyx. Tem razão: a Hydro está acabando com o Pará

A Noruega e a Hydro não têm moral. Ambas estão destruindo o Pará


O ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni , irritou-se com perguntas de jornalistas sobre a atuação de ONGs internacionais na área de preservação ambiental e afirmou nesta segunda-feira que países europeus, como a Noruega, tem que aprender com o Brasil sobre o tema.

- A floresta norueguesa, quanto eles preservaram? O Brasil preservou a Europa inteira, territorialmente, com as nossas matas, mais cinco Noruegas. Os noruegueses tem que aprender com os brasileiros, não a gente aprender com eles - disse Onyx.


O ministro disse que o Brasil precisa ter "altivez" no debate sobre preservação ambiental. Afirmou que países com territórios similares ao do Brasil preservaram 10% da sua área, enquanto o país preservou 31%.

O nome da atriz Maitê Proença foi proposto ao presidente eleito Jair Bolsonaro para a pasta do Meio Ambiente por um grupo de ambientalistas, economistas e pesquisadores, como adiantou a coluna de Ancelmo Gois nesta segunda. Mesmo sem filiação partidária ou atuação política, a atriz conta com bom trânsito na área ambiental e fora dela.

Após citar os percentuais de preservação, Onyx foi questionado se isso sinalizava desejo de permitir novos desmatamentos, o que refutou:

- Claro que não. Seria irresponsabilidade escrever isso ou falar isso. Nós vamos preservar o Brasil, mas com altivez. Não dá pra vir a ONG da Noruega ou da Holanda vir aqui dizendo o que a gente vai fazer, porque lá dá três palmos da linha da água, e eu vi, eles plantam tudo - disse.

O ministro da transição afirmou que ONGs nacionais e internacionais ficam com parcela dos recursos arrecadados com multas ambientais e disse haver preocupação com isso.

- O presidente vai receber um pré-estudo sobre uma série de questões que há no Brasil. Ele mesmo falou na semana passada sobre os R$ 14 bilhões que há de multa, onde as ONGs nacionais e internacionais levam 40% desse dinheiro. Só pra gente entender como as coisas estão acontecendo. Há agora R$ 1 bilhão que pode ser destinado a ONGs internacionais. Então, a gente está muito preocupado com isso - afirmou.

Onyx não avançou sobre a indicação de um futuro ministro para a área, limitando-se a dizer que "existem vários nomes" e que o tema deve ser tratado por Bolsonaro na viagem que fará a Brasília nesta semana. Fonte: O Globo.

A Hydro, a Eliane Brum e o Greenpece: tudo a ver

É óbvio que não podemos concordar com tudo o que o Onyx Lorenzoni diz aí em cima - vale aqui dizer que o Brasil não é essa coca-cola toda em matéria de preservação ambiental, e nós amazônidas sabemos muito bem disso. Mas, no que diz respeito aos noruegueses, sem dúvida o futuro ministro de Bolsonaro tem razão.

Os noruegueses são os maiores hipócritas da Europa, pois não têm moral nenhuma para dar lições de preservação ao Brasil e aos brasileiros. O que a mineradora Norks Hydro, por exemplo, está fazendo no Pará, é um dos maiores crimes ambientais e sociais já perpetrados contra rios, florestas e a população do estado.

A Hydro, literalmente, está acabando com o Pará. Alguém duvida? Aliás, procurem ouvir a opinião da jornalista brasileira Eliane Brum - contemplada recentemente com verba do fundo ambiental da Noruega  para a Amazônia -, sobre o que a Hydro está fazendo no Pará.

Ela está caladinha, é lógico. Assim como o Greenpeace, que faz um combate seletivo as destruidoras do meio ambiente. Mexer com a Hydro, nem pensar.

Sintomático.


Um comentário:

  1. Mas antes de sair criticando todo mundo,a imprensa de um modelo do gerale principalmente a noite imprensa do Pará deveria era criticar e denunciar os órgãos fiscalizadores e principalmente a cúpula da secretaria de meio ambiente do Pará e o governador que mesmo essa empresa norueguesa acabando com as nidsan florestas e rios e também os animais concede isenção fiscal para ela, se o Brasil e o Pará fossem realmente preocupados na preservação ambiental não deixariam essa catástrofe ambiental acontecer.
    Aliás isto nem foi explorado durante a eleição pelo governador eleito Hélder e a imprensa paraense comeu abiu e nem tocou no assunto para não prejudicar o candidato fantoche do governador Tucanalha.

    ResponderExcluir