VER-O-FATO: PF prende João Salame, ex-prefeito de Marabá, durante operação que apura desvio de recursos públicos

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

PF prende João Salame, ex-prefeito de Marabá, durante operação que apura desvio de recursos públicos

 

A Polícia Federal, em conjunto com a Receita Federal, deflagrou na manhã de hoje (18) a Operação Partialis com o objetivo de apurar apropriação e desvio de recurso públicos federais destinados a aquisição de gases medicinais em Marabá, Altamira e Brasília (DF). Ao todo estão sendo cumpridos, nas residências dos investigados e na sede de uma empresa, 17 mandados judiciais expedidos pela 2ª Vara da Justiça Federal de Marabá, nas três cidades, sendo 4 mandados de prisão preventiva, 4 de prisão temporária e 9 mandados de busca e apreensão.

Entre os presos está o ex-prefeito de Marabá, João Salame Neto, cuja ordem de prisão o alcançou em sua mansão, em Brasília, logo cedo (veja, acima, a ordem expedida pelo juiz federal Heitor Gomes). Salame é um dos coordenadores da campanha ao governo do Pará do candidato Helder Barbalho (MDB) e, segundo se comenta. estaria cotadíssimo para assumir a Secretaria de Saúde num eventual governo de Helder. A investigação é um desdobramento da Operação Asfixia, deflagrada em junho de 2016, para apurar fraudes em licitações para aquisição de gases medicinais promovidas pela prefeitura de Marabá.

Após a análise de documentos apreendidos, além dos demais elementos de informações colhidos durante a operação e investigações, descobriu-se um verdadeiro esquema de ilícitos dentro do paço municipal, com ilicitudes que consistiam na cobrança de valores por parte de servidores municipais em troca da facilidade no recebimento de valores atrasados. Chamou a atenção em especial, uma anotação que indicava o depósito de R$100 mil reais para uma dita “parceria”.

Ao todo, em verbas federais, municipais e estaduais, os assessores diretos do ex-gestor municipal, sob comando desse, sacaram em espécie, na boca do caixa das empresas que tinham contratos com a prefeitura de Marabá, mais de R$1,5 milhão. Além desses valores já citados para a dita “parceria”, outros R$1 milhão foram depositados na conta da esposa de um assessor imediato do ex-gestor municipal, sendo que parte desses valores foram transferidos, através de terceiros diretamente para as contas do ex-gestor municipal. Além da apropriação desses montantes, também foi adquirido, com recursos públicos federais, por um dos empresários investigados e presos durante a Operação Asfixia, uma aeronave adquirida de uma empresa com sede em Altamira.

Segundo as investigações, após publicação, em jornal local, de que tal compra havia sido realizada pelo ex-gestor, através de pessoa interposta, tal aeronave foi enviada para Goiânia (GO), onde ficou sob responsabilidade da direção nacional de um partido político. Tanto os empresários da empresa de Altamira, como a direção nacional do partido, praticaram uma série de ilicitudes, a fim de justificar a versão dos fatos apresentadas perante a Justiça.

A Receita Federal em suas análises de sigilo fiscal verificou uma série de irregularidades como movimentações bancárias em valores superiores aqueles declarados, em alguns casos até cinco vezes maior, indiciando a prática de ilícitos fiscais e evolução patrimonial vertiginosa e incompatível com a renda declarada. De acordo com levantamentos preliminares os valores desviados dos cofres públicos podem chegar seguramente a mais de R$ 2 milhões.

Os investigados responderão pelos crimes de associação criminosa, corrupção ativa e passiva, falsidade ideológica, uso de documento falso e apropriação e/ou desvio de recursos públicos. Ao todo as penas pelos crimes investigados podem alcançar mais de 30 anos de reclusão. Os presos, serão encaminhados para presídios das cidades de Marabá, Altamira e Brasília, onde ficarão à disposição da Justiça Federal. Fonte: PF do Pará.
Aspectos da operação de hoje da PF nas 3 cidades


25 comentários:

  1. Cacildes!! Uma bomba aqui em Marabá e região. Um homem que começou com um Jornal e infelizmente se desvirtuou pelo poder. Muito complicado!

    ResponderExcluir
  2. Foi o mesmo indicado por Helder Barbalho para Secretário de Saúde do Estado, caso esse corrupto venha ganhar a eleição para Governador. Uma bomba!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é discurso ensaiado da patota de vocês tucanos de bicos e adas quebrado. Ficam fazendo um monte de ilações caluniosas ao Helder. Isso tem nome meu caro: DESESPERO!Ademais, para de palhaçada. O PSDB não tem moral para criticar ninguém quando o assunto é corrupção. Eita, galera hipócrita. Me compra um bode!

      Excluir
    2. E ainda tem gente que defendem a quadrilha Barbalho #chegadebarbalho

      Excluir
  3. Que as investigações se aprofundem e cheguem tambem a Pedro Alves Paixão e familiares que recebiam valores consideraveis mensalmente, como funcionarios da Prefeitura sem trabalhar. Marabá-PA. 18.10.18, Marabá-PA.

    ResponderExcluir
  4. Complicado Regina! Só lamento pela família do ex-prefeito João Salame, que deve estar a sofrendo as consequências do ato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem que lamentar é que o dinheiro desviado poderia ser investido em hospitais por exemplo salvando vidas! Corrupcão deveria ser tratado como crime hediondo.

      Excluir
    2. Coitadinho! Vão entrar para o bolsa família considerando do TEMERário, considerando o que mesmo??? Rá, rá, rá. Eu só lamento não ser advogado criminalista para melhorar o meu padrão de vinhos e scotches.

      Excluir
  5. Ele seria secretário de saúde de quem? Tá explicado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele não é secretário de ninguém adorador de Tucanalha,o wqu o blogueiro disse está na suposição, sempre querendo associar alguém que edta sujo ou responde na justiça para querer denegrir a imagem do ninos futuro governador Hélder.

      Excluir
  6. Por quê, a Policia Federal não faz também as batidas na sesma de Belém, é precionante

    ResponderExcluir
  7. Salame é Barbalho e Barbalho é salame.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gorfo do Aurá e Márcio Miranda e Márcio Miranda é Gordo do Aurá!Simples!

      Excluir
  8. Olha, aqui em Maraba o ex-Prefeito tava fazendo campanha pro Márcio Miranda, desde que rompeu com o Helder por falta de apoio pra candidatura do irmão Beto Salame.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São essas informações que qualquer profissional que se preze deveria checar primeiro antes de associar um bandido a alguém.Mas não preferem dar a notícia logo afirmando que o mesmo seria secretário disse daquilo de Hélder,tentando sujar a imagem do candidato.Por que ban falas que o gordo do Aurá é do partido do candidato fantoche do governador e que caso o candidato que ele apoia vença,o que não vai acontecer, sera sim secretário do governo do candidato fantoche?

      Excluir
    2. Associar um bandido a alguda ou um bandido a outro porque salame e Barbalho e tudo corrupto o velho é o pior de todos já saiu até algemado e o povo não ver isso vão gostar de corrupto assim eu Hem tofora

      Excluir
  9. Sou morador de marabá e assiste razão ao anônimo aí de cima! Salame estava fazendo campanha para Márcio Miranda

    ResponderExcluir
  10. É a velha máxima da falta de parcialidade da maioria dos blogs paraenses...os que nem tentam disfarçar é a Florenzano (até pq é funcionária da ALEPA a serviço da campanha de Márcio Miranda), Diógenes Brandão e ZeDudu! Aqui não estamos em terreno neutro, o que se vê em matérias como essa dai, cheia de suposições, sem nenhum fundamento, mas pelo menos o espaço é aberto a crítica e ao debate. A Florenzano, por exemplo, não liberar comentários no blog dela que lhe questionem a parcialidade e sequer posta as pesquisas que não sejam favoráveis ao seu patrão. João Salame não foi e não é coordenador de campanha do Helder, muito pelo contrário, racharam no primeiro turno, tanto que o ex-Prefeito já vinha trabalhando na campanha do Márcio Miranda aqui em Maraba, pela falta de apoio ao irmão, por parte dos Barbalhos. A coordenação no sul do Pará foi toda do Chamozinho, que arrebentou por aqui! Achas mesmo que se ele fosse “coordenador” ou “futuro secretário de saúde”, não teria conseguido fazer o poste do irmão deputado federal? Carlos Mendes, poucas vezes concordo com o que escreves, mas saúdo o espírito democrático do blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou de Marabá mas moro em Brasília nessas políticas a minha maior descepção foi saber que o Pará havia mandado de volta a qui para o Brasília um dos maiores corrupto que já passou por aqui

      Excluir
  11. Impressionante a quantidade de políticos envolvidos com escândalos de corrupção no sudeste do estado do Pará. Será que é aumentar o patrimônio pessoal, o VERDADEIRO e REAL motivo do interesse de promover a divisão do estado. Dito em outras palavras dividir para aumentar o número de endinheirados políticos ou políticos endinheirados.

    ResponderExcluir
  12. Essa prisão preventiva tem mais a ver com a disputa presidencial. O noticiário destaca mais o mandadi de prisão do presidente do PROS Que, juntamente com o PC do B se coligou com o PT no nível nacional. É o time eleitoral da justiça. Não esquecendo da divulgação de trechos da delação de Palocci uma semana antes do primeiro turno. O jogo é bruto.

    ResponderExcluir
  13. Márcio Miranda engrossa a voz e faz cara de mal, pra criticar o candidato Helder, no horário eleitoral, cobrando explicações! Quem tinha que estar se explicando é ele, pra casa pessoa de Ananindeua que purgou a violência do Gordo do Aurá e sua quadrilha! De cada pai e mãe que perdeu o filho para drogas ou pra cada família, que não recebeu seu filho, pai, marido, em casa que por ser policial acabou sendo vítima preferencial da violência instalada no Estado. Quem se abraça e congratula com traficante em palanque, quem divide partido com esse tipo de gente, não merecia nem estar na vida pública! Fora Jatene! Fora Zenaldo! Fora Márcio Miranda! Fora PSDB!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estão vendo as palavras desse cidadão,mesmo anônimo, mostra a forma de cono o grupo da quadrilha do pior governador do Estado do Pará dos últimos tempos chamado Jateve, e que grande parte da imprensa paraense tenta esconder.Isso é fato,inclu inclusive a justiça eleitoral já setenciou o candidato fantoche do governador,na sua decisão proferida que Gordo do Aurá é partidário do candidato fantoche do governador inclusive, é vereador por Ananindeua pelo DEM.Por que tem jornalistas escondendo isso,jogando na nesme lama nosso futuro governador Hélder,e pasmém dizendo que ele apoia Hélder?
      So espero que após esse período eleitoral, vocês ditos profissionais da imprensa, se retratem perante seus eleitores.

      Excluir