VER-O-FATO: PF investiga fake news nas campanhas de Bolsonaro e Haddad. No que vai dar, isso?

sábado, 20 de outubro de 2018

PF investiga fake news nas campanhas de Bolsonaro e Haddad. No que vai dar, isso?


As investigações sobre as origens de fake news, ataques pessoais e agressões gratuitas, entre partidários de Jair Bolsonaro e Fernando Haddad desde o primeiro turno, agora intensificadas na reta final do segundo turno, finalmente encontraram o caminho da sensatez.

Na manhã deste sábado, a Polícia Federal instaurou inquérito para investigar se empresas de tecnologia da informação têm disseminado, de forma estruturada, mensagens em redes sociais referentes aos dois candidatos à presidência da República.

A autora do pedido de investigações à PF é a procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Ela quer a apuração “de eventual utilização de esquema profissional por parte das campanhas, com o propósito de propagar notícias falsas”.

O trabalho da PF deve incluir todas as redes sociais - principalmente Whatsaap e Facebook -, onde mentiras, montagens e outras aberrações são disseminadas pelos dois lados.
 
Na primeira investigação, aberta por determinação do ministro Jorge Mussi, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a PF analisará se o candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL) cometeu crimes eleitorais. A investigação foi solicitada pelo PT. Na outra frente, a pedido da Procuradoria-Geral Eleitoral (PGE), a PF vai investigar a disseminação de notícias falsas na campanha presidencial contra ambos candidatos. O pedido da PGE cita reportagens do GLOBO, da BBC e do jornal “Folha de S.Paulo". 

A partir de agora, a Justiça Eleitoral deverá encaminhar com mais rapidez à Polícia Federal os pedidos de investigação sobre “fake news”. A decisão de apressar as apurações criminais foi acertada numa reunião ontem entre a presidente do TSE, Rosa Weber, com representantes da Polícia Federal e do Ministério Público Federal. 

Também na próxima semana, existe a possibilidade de o plenário do TSE analisar uma ação contra a divulgação de “fake news" pelo Whatsapp. Ministros da corte já deram decisões divergentes sobre isso, mas o plenário, composto por sete integrantes, ainda não deliberou a respeito. Se o fizer, poderá criar um parâmetro para julgamentos futuros. 

Na prática, porém, isso terá pouco efeito na eleição deste ano, uma vez que o primeiro turno já passou e o segundo está marcado para o dia 28 de outubro.

Sabe no que isso vai dar? 

Respostas na caixa de comentários do blogue, por favor. 

4 comentários:

  1. Tem tanta coisa mais importante para a PF investigar... O PT é a própria fakenews!

    ResponderExcluir
  2. Respondendo o anônimo anterior quem é o maior criadir de Fake News dessa campanha é o candidato facista e seu partido o tal PSL um partido nanico que com a ajuda desses grupos neonazistas, Ku klux klan,e outros grupos xiitas, na qual esse candidato facista os representa, e o poderio econômico vindo de empresas , que sabendo que vão ter beneficios junto ao candidato facista,inclusive coagindo seus proprios funcionários a votarem no facista, sendo condenado pela justiça trabalhista, isso a mídia e certos defensores desse candidato que poderá levar o nosso país ao caos, e cheio de ódio, ofensas, calunias e guerra entre brasileiros , inflamados pelo discurso de ódio desse candidato xenofobo,racista, homofóbico e facista.
    Mas o povo vai dar a resposta nas urnas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O PT não precisa de FakeNews, basta dizer a verdade.

      Excluir
  3. Enquanto isso... 7 pessoas foram assassinadas por grupos de extermínio na RMB de ontem pra hoje! Quando Márcio Miranda ganhar e o titular da segup for o gordo do aura esses números serão ainda maior! Fora Jatene! Fora Márcio Miranda!

    ResponderExcluir