quarta-feira, 3 de outubro de 2018

PF acaba com farra corrupta de compra de votos em colônia de pescadores de Santarém

Os agentes da PF acabaram com a farra eleitoral corrupta na Z-20


A compra de votos anda a mil por hora em algumas regiões do Pará, na véspera das eleições. Candidatos sem nenhum trabalho relevante a favor dos eleitores, surgem com malas de dinheiro, equipamentos de trabalho, materiais de construção, corrompendo eleitores também corruptos e sem consciência política.


Infelizmente, alguns desses candidatos corruptos irão se eleger, ou reeleger e parte da população continuará acreditando que eles sejam benfeitores, quando na verdade não passam de carrascos de desinformados e ignorantes. Enquanto isso, a Polícia Federal faz a parte dela. 

Na manhã desta quarta-feira, em Santarém, por exemplo, ela cumpriu decisão do juiz eleitoral da 83ª Zona Eleitoral, Rafael Grehs, a pedido da promotora eleitoral, Dully Sanae Otakara, na sede da Colônia de Pescadores Z-20, onde fez  busca e apreensão de 50 motores de rabeta ( canoa motorizada).

De acordo com a denúncia, um candidato a deputado estadual teria adquirido cerca de 70 motores de rabeta e enviado para a colônia pra que fossem distribuídos nas comunidades de pescadores na região. Esse material teria a função de angariar votos ao candidato. Na sede da Colônia, a PF encontrou e apreendeu as caixas com os motores. As outras 20 podem já tere sido distribuídas.

Além dos motores, a PF encontrou uma grande quantidade de material de campanha política dentro do estabelecimento onde foram cumpridos os mandados.Os responsáveis pela Colônia Z-20 foram intimados para prestar depoimento na Delegacia de Polícia Federal de Santarém. 

A PF se negou a revelar o nome do candidato "para não atrapalhar as investigações", mas segundo uma fonte santarena, ele seria ligado ao PSDB. Na verdade, é um erro não divulgar o nome, porque os efeitos do crime eleitoral devem se fazer sentir até na hora da votação, isso se outras formas de corrupção não estiverem em andamento.

Respeitando-se as exceções, não há santos nessa eleição. Como nunca houve nas anteriores. (Do Ver-o-Fato, com informações da PF).

Atualização:

Segundo o portal O Impacto, de Santarém, os "santinhos" apreendidos tinham os nomes do candidato a deputado federal Junior Ferrari, e do candidato a estadual, Silvio Amorim. Em nota, Ferrari prestou ao portal os seguintes esclarecimentos:

“Recebo com muita tranquilidade a informação publicada pelos meios de comunicação, sobre ação da Polícia Federal em Santarém com apreensão de motores rabetas e material de campanha à mim atribuído, na Colônia de Pescadores Z-20. Informo aos amigos e a todos, que os motores rabetas são fruto de emenda parlamentar de 2017 que foi destinada ao Município de Santarém. 

O Município recebeu no início deste ano os motores, e como responsável legal, fez a destinação posteriormente a Colônia de Pescadores Z-20. Não se trata de ato irregular ou ilícito, pois foi de conhecimento público a ação, com cerimônia de entrega e ampla publicidade dos fatos, tudo isso, após amplo processo público licitatório, e também amplamente divulgado nas redes sociais à época. 

Nossas emendas são destinadas para todo o Estado do Pará, atendendo as necessidades da nossa gente. Nunca estivemos envolvidos em qualquer tipo de escândalo ou mesmo fomos questionados sobre a idoneidade do nosso trabalho. É importante deixar claro que todo cidadão tem o direito constitucional de expressar o seu apoio a qualquer candidato, independente de ser da colônia de pescadores ou não. 

 Portanto, agradeço de coração aos pescadores de todo o Pará que sempre me recebem com muito respeito e carinho”. Júnior Ferrari -Deputado Estadual.


3 comentários:

  1. Tucano envolvido em compra de votos? Fala sério! Nao tem nenhuma novidade nisso! Fora Jatene! Fora Márcio Miranda

    ResponderExcluir
  2. O Jateve sai de licença pra quê?

    ResponderExcluir
  3. Este Ferrari é mesmo uma Ferrari quando se trata de atender aos seus eleitores. Quem sabe no futuro ele não distribuirá carros com motores de verdade.

    ResponderExcluir