VER-O-FATO: No Pará, o buraco é mais embaixo

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

No Pará, o buraco é mais embaixo

Comunidade Santo Antonio, em Melgaço. Governantes já pisaram lá?

Um desafio a vencer pelo próximo governador do Pará será reduzir o número de pessoas que vivem abaixo da linha da pobreza. Sai governo, entra governo, mas tudo continua na mesma. Os plantonistas no poder  limitam-se a enxugar gelo.
Em 2007, por exemplo, o mapa da exclusão social no estado apontava a existência de 3,3 milhões de pessoas que viviam ( se é que assim se pode chamar) com renda mensal menor do que a metade do salário mínimo, à época menos de R$ 350.
Isto sem mencionar outras 920 mil famílias que recebem o Bolsa Família. Esse fosso aumentou com a crise nacional. Hoje, mais de 60% da população paraense não tem dinheiro suficiente para custear despesas mínimas. 
Como se não bastasse, ainda há a violência que aterroriza a todos. Acordar vivo a cada dia, eis o milagre. 


6 comentários:

  1. Se o Jatene não fez nada para melhorar a vida desse sofrível povo, imagina o cap pm fake Márcio Miranda e seu fiel escudeiro gordo do aura! Fora Jatene! Fora Márcio Miranda! Fora gordo do aura!

    ResponderExcluir
  2. Os desafios serão grande para o proximo governador, que seja Helder, pois seria um crime contra o Estado eleger o candidato fantoche do governador.
    E também, não espere que Helder conserte esses 20 anos de abandono dos governos tucanos em 4 anos,ele previsara de pelo menos mais um mandato de 4 anos para melhorar os indicadores sociais e econômicos do Pará!
    Mas com muito trabalho e vontade de fazer conseguiremos melhorar nosso Estado.

    ResponderExcluir
  3. REPITO: Concordo plenamente, até porque o candidato Márcio Miranda, que não é "mãos limpas" coisa nenhuma, vem trazendo um rastro de bosta atrás de si... particularmente o que mais atingiu os servidores públicos estaduais foi quando o DEM "assumiu" o plano de saúde IASEP (PAS) e Márcio Miranda colocou o irmão, o músico Kleber Tayrone Teixeira Miranda, na presidência do plano. Coincidentemente à diminuição do valor do tempo integral que Jatene nos impôs (mesmo com salários defasados), veio também o aumento de 50% na mensalidade do plano IASEP, descontavamos 6% e passamos a descontar 9% no contracheque; dependente passou a descontar igual titular e cônjuge que era isento passou a pagar. Esse plano não tem inadimplência pois em nossos contracheques já vem o desconto do plano de saúde, mesmo assim, os repasses aos médicos que atendem esse plano, são feitos com bastante atraso ocasionando uma evasão no atendimento. Plano odontológico foi cortado. Resumindo, embora o aumento tenha sido grande a qualidade no atendimento ficou pior que o SUS. Agora pasmem: de acordo com receita federal, a maioria dos repasses do plano foi dirigida ao Hospital Francisco Magalhães, Centro de Diagnósticos etc., de propriedade de esposa e filhos de Marcio Miranda. Se pesquisarem, podem confirmar o que estou falando, inclusive vejam sobre o Instituto Mercina Miranda, ALEPA, Hydro, PM, dentre outros... Melhor valorizarmos mais nossos "papa-chibés" do que essa turma que vem lá de MG, inclusive o Pioneiro, querendo "botar moral" nos paraenses e encher os bolsos de dinheiro por aqui! Mesmo com a "força" do jornal "A Gazeta" do irmão Kleber Tayrone, não foi a toa que Márcio não conseguiu se eleger prefeito de Castanhal... Porque será?

    ResponderExcluir
  4. Testemunhas ficaram estarrecidas hoje à tarde em plena doca de Souza Franco ao verem dois homens exterminarem um PM para lhe roubarem a arma! A onda de extermínio está aqui no centro e não somente na periferia! Povo do Pará por favor exterminem Jatene, Márcio Miranda e gordo do aura !

    ResponderExcluir
  5. Infelizmente 40% do povo Paraense são corruptos se vendem por dinheiro,cheque moradia,gasolina para viajar final de semana,cargo publico,cerveja e outros.Agora vocês que fazem isso,digão gue não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade esses 40% que votam no candidato fantoche do governador,venderam seus votos a troco de um DAS, de um cheque moradia e por aí vai .
      Mas mesmo assim Hélder será nosso governador!

      Excluir