VER-O-FATO: MPT de olho aberto na Hydro, que foi explicar-se sobre ameaça de demissões em massa

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

MPT de olho aberto na Hydro, que foi explicar-se sobre ameaça de demissões em massa

Dirigentes da Hydro estiveram no MPT, ontem: empregos na mira

Sem ainda nada de prático ter feito para amenizar ao menos o impacto dos crimes ambientais e sociais de que é acusada no Pará, a mineradora norueguesa Norks Hydro passa os últimos dias tendo de se explicar às autoridades e fiscais da lei. Com a retomada de 50% das operações, empresa tem concedido férias coletivas, suspensão de contrato de trabalho e redução de jornada a fim de manter empregos, mas não descarta demissões.


Dirigentes da empresa, ontem pela manhã, estiveram na sede do Ministério Público do Trabalho no Pará e Amapá (MPT), para tratar da situação dos postos de trabalho após o anúncio de suspensão de 100% de suas das atividades, feito na semana passada. De acordo com informações prestadas ao MPT, após tratativas com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), a empresa retomou 50% da produção.

O Ministério Público do Trabalho já instaurou inquérito civil para acompanhar os reflexos do embargo ambiental imposto à empresa, no 1º semestre deste ano, nos cerca de 5 mil empregos diretos e 5 mil indiretos da produtora de alumínio. Após nota pública divulgada pela Hydro na última semana, o MPT notificou a empresa para que informasse como ficaria a questão trabalhista diante da suspensão de sua atividade produtiva.

Durante a reunião, representantes da Hydro esclareceram que Ibama e Semas autorizaram a utilização da tecnologia de filtro prensa, o que permitiu que a empresa retomasse 50% da produção. Ainda segundo os representantes, não há intenção de promover demissões em massa, porém não é possível descartar essa possibilidade uma vez que o embargo à mineradora permanece.

Férias e redução de jornada


Entre a medidas que estão sendo adotadas para manutenção dos empregos, no momento, segundo informações enviadas ao Ver-o-Fato pela assessoria de imprensa do MPT, constam a concessão de férias coletivas, a utilização de banco de horas, a suspensão de contrato de trabalho e a redução de jornada.

A Hydro também informou que tem conversado com o sindicato dos trabalhadores e que criará um comitê responsável por estabelecer um fluxo de trabalho a fim de executar medidas técnicas previstas no Termo de Ajuste de Conduta, firmado com o Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA). A empresa também possui um Termo de Compromisso firmado com o Estado do Pará.

Ao final da reunião, ficou pactuado que a Hydro deverá informar ao MPT, via peticionamento eletrônico, decisões institucionais que venham a afetar os trabalhadores e seus empregos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário