VER-O-FATO: Haddad chora em reunião do PT e afirma que queria "vencer por Lula"

terça-feira, 30 de outubro de 2018

Haddad chora em reunião do PT e afirma que queria "vencer por Lula"

A direção do partido reuniu durante 5 horas e avaliou eleição

Derrotado na disputa presidencial, o petista Fernando Haddad chorou, durante reunião com petistas na manhã desta terça-feira (30). Segundo participantes, Haddad se emocionou ao falar de sua família e dos ataques sofridos via WhatsApp.

O ex-prefeito pediu desculpas caso tenha cometido erros na condução da campanha. Disse que deu o seu melhor. E foi muito aplaudido ao dizer que gostaria de vencer a corrida presidencial pelo legado petista, pelo discurso de Jair Bolsonaro e e pela injustiça que foi feita ao Lula. Nos discursos de dirigentes petistas, ele foi ungido como liderança da oposição.

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, afirmou que a legenda dará "todas as condições" para que o candidato derrotado da sigla à Presidência, Fernando Haddad, exerça a partir de agora o papel de articulador de uma frente democrática em defesa dos direitos dos brasileiros. Segundo ela, esse papel que será exercido por Haddad, como uma espécie de líder da oposição, é maior do que o próprio PT. 

A Executiva Nacional do PT se reuniu nesta terça-feira (30), dois dias após a derrota na disputa pelo Palácio do Planalto, na sede da sigla, no centro de São Paulo. Haddad, que obteve 44,87% dos votos válidos, foi derrotado no 2º turno pelo candidato do PSL, Jair Bolsonaro (que somou 55,13% dos votos válidos). 

Segundo Gleisi, a executiva do PT decidiu na reunião construir uma ampla frente pela democracia e "pelos direitos do povo" que vai se posicionar como oposição ao governo Bolsonaro. Apesar da derrota na corrida presidencial, a presidente petista ressaltou que a legenda sai fortalecida do processo eleitoral. 

O PT foi o partido que mais elegeu governadores (Bahia, Ceará, Rio Grande do Norte e Piauí) e a maior bancada na Câmara, com 52 deputados. No encontro, que começou por volta das 10h e terminou perto das 15h, os dirigentes petistas e Haddad debateram os próximos passos que pretendem dar no novo contexto político do país. Além de Gleisi e Haddad, participaram da reunião, entre outros, a ex-presidente Dilma Rousseff e o líder do partido na Câmara, Paulo Pimenta (PT-RS). 

"O Fernando Haddad, no nosso entender, tem um papel muito importante e relevante nesse processo, que é um papel maior do que o PT. Ele sai depositário da esperança e da luta do povo pela democracia, de diversos setores da sociedade. E o PT dará toda as condições para que Fernando Haddad possa exercer esse papel de articulador junto com outras lideranças sociais e outras lideranças de partidos políticos para consolidar essa frente", declarou a presidente do PT à imprensa ao final da reunião. Fontes: Folha de S. Paulo e O Globo.


2 comentários:

  1. Haddad, saiu fortalecido pois desde quando lançou-se candidato em substituição a Lula, cresceu de 8% para 45% só final do segundo turno.
    Sem sombra de dúvidas é sim o líder maior da oposição contra o facista presidente.

    ResponderExcluir
  2. Assim como Lula, Haddad vivenciou ao amago de sua alma a dor e as tristezas de Lula, Haddad é muito sensível e chorou por Lula lutou como fosse o Lula , e não é por ele essa dor mas porque tentar viver um sonho é humanamente impossível porque os sonhos se esvaem, e se dissipam no ar, e a realidade do sonho continua preso, e a dor é maior para aquele que luta num confronto de ideias ideais, e Haddad sucumbiu diante do seu fracasso que não foi seu, mas foi de uma multidão de emoções desumanas e cruéis querendo a cabeça do Lula, chora Haddad porque nós brasileiros choramos junto com você !

    ResponderExcluir