VER-O-FATO: Em debate chato e insosso da TV Record, Cleber Rabelo encurrala e nocauteia "favoritos" à eleição no Pará

sábado, 29 de setembro de 2018

Em debate chato e insosso da TV Record, Cleber Rabelo encurrala e nocauteia "favoritos" à eleição no Pará

Rabelo ( na ponta, à esquerda) venceu com méritos o debate

Helder Barbalho, candidato do velho MDB na coligação de outros 15 partidos reúne chances de levar a eleição no primeiro turno. Contudo, pensou em ir buscar lã, mas saiu tosquiado no fraco e insosso debate da TV Record de Belém, neste sábado, na hora do almoço. Quando confrontado por Cleber Rabelo (PSTU), o ex-ministro de Temer provocou risos em quem o assistia ao declarar-se "ficha limpa". Foi no momento em que respondia a uma pergunta de Rabelo sobre recebimento de propinas na Lava Jato.

E Márcio Miranda (DEM) - candidato do licenciado governador Simão Jatene - parecia tão desanimado e sem brilho, que perdeu a melhor oportunidade de tentar subir nas pesquisas e levar a eleição para o segundo. Em vez disso, quase vai à nocaute e irritou-se quando Rabelo questionou os "milhões" concedidos pelo governo do Estado e pela Alepa a um hospital da família do deputado.
Fora esses dois únicos e apimentados momentos, o debate, na sua quase totalidade de tempo, apresentou um festival de promessas vazias, sem nenhuma consistência e de pouca credibilidade. Barbalho e Miranda abusaram da paciência de quem os assistia, anunciando que farão muitos investimentos. Só não disseram quais as fontes de custeio e onde irão arrumar o dinheiro. 

O país vive o maior perrengue, com desemprego brutal, violência nas ruas, falta de investimentos em saúde, educação e saneamento, mas os candidatos pareciam com a cabeça em outro lugar, talvez em Marte. Disso se aproveitou Cleber Rabelo, que surpreendeu a muita gente, assumindo com desenvoltura o papel de franco atirador da eleição.

Nem Paulo Rocha (PT), que chamou para si, num evidente surto despropositado de arrogância, amparado apenas no fato de "ser o candidato de Lula e Haddad no Pará", a condição de o "único a ter moral" para trazer investimentos para o estado, escapou das cutucadas de Rabelo. 

O vereador do PSTU também não perdeu a oportunidade da estocada no colega da Câmara Municipal de Belém, Fernando Carneiro (PSOL), este acusado de no governo de Edmilson Rodrigues, na prefeitura de Belém, "nada ter feito" para melhorar as condições de vida dos trabalhadores que dependem do transporte público.

Sem dúvida, Rabelo deu uma surra nos quatro candidatos, salvando do vexame um debate cujo formato é feito para que nenhum candidato responda à qualquer pergunta, apenas aproveitando o tempo para vender peixe frio e pitiú.  Pena que no frigir dos votos, as tendências da maioria dos eleitores já estejam definidas. 

Quem viu o debate e não pretende votar em nenhum dos candidatos do sistema político podre e pobre que temos, representado pelo MDB, DEM/PSDB e PT, Cleber Rabelo apresentou-se como alternativa. Esqueça o slogan surrado do " contra burguês, vote 16", do candidato do PSTU. 

Ele merece uns bons votos. Principalmente de quem pensava em tascar um branco ou nulo na urna.




17 comentários:

  1. A parte mais bonita do debate foi a Roberta piza.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo a Roberta piza é um colírio, um docinho.

      Excluir
  2. Esse debate mostrou claramente que os candidatos Hélder e Márcio não tem preparo para governar o Pará, Paulo e Fernando São farinhas do mesmo saco então sobra apenas o Cleber que sabemos não vai longe nesta eleição mas se mostra um guerreiro.

    ResponderExcluir
  3. Dar credibilidade ao Cléber Rabelo que desferiu sim sua “rebelião “ perante o sistema político atual, mas sem dizer que ele é candidato também, não apresentando propostas, conhecimento técnico condizente para o cargo pleiteado e com vocabulário paupérrimo, é brincar - e querer manipular/distorcer - a imparcialidade necessária para uma análise jornalística independente. Isso demonstra a revolva nítida do autor do texto desse blog.

    ResponderExcluir
  4. Ei, anônimo das 18:53, me diz, sem esconder a cara e o nome, o que é uma "análise jornalística independente"? Tu desqualificas o candidato Cleber Rabelo porque ele certamente foi na "ferida" do teu preferido. Vê-se, lógico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos, tá na hora de vc deixar de ter essa postura...nem falo da caneta que pende a ser sempre mais ácida pra uns, enquanto mais suave pra outros...mas isso é até normal, imparcial mesmo ninguém é, todos temos as nossas preferências e elas se refletem, mesmo que inconscientemente no que se faz, fala ou escreve (seu caso)! Agora o que tem que mudar é isso, o meio que “chamar pra briga” a todo leitor que te crítica, querendo saber que é? De onde é? vou processar! As regras de anonimato aqui são suas, mude se achar pertinente! Ou compreenda o óbvio...quem escreve e vive disso tem um nome, uma cara, um endereço...o seu leitor são todos ou nenhum, são naturalmente anônimos ou indeterminados...baixe a guarda, ilustre, aceite a crítica, aprenda com o que valer a pena, mas sempre aprenda, até pq como ninguém é totalmente imparcial, ninguém está certo sempre...nem vc, nem ninguém!

      Excluir
    2. Falou tudo, concordo com você!

      Excluir
  5. Agora é Rebelião ! Vamos de Cleber agora. Eu e os meus. Foi ferino e sagaz . O rapaz foi cirúrgico.

    ResponderExcluir
  6. Concordo com o anônimo de 18:53, realmente dar credibilidade a um candidato nanico, já mostra um desespero .Todos sabemos que esses partidos nanicos repleto de ideologias, são apenas candidatos que se aproveitando do momento do Pará e do Brasil ficam atirando para tidit os lados e o pior ainda cibsecon animar o ilustre blogueiro é o fim da picada mesmo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Queria é saber se tirando a fanfarra eleitoral, dessa coisa de “ganhar” ou “perder” o debate, situação essa inventanda por jornalistas/comentaristas políticos que mais se amoldam a comentaristas de futebol, arraigados em paixões cegas e irracionais, ouvir elogio ao candidato Cleber e dizer ser este merecedor “uns bons votos”, tal como faz o blogger é piada pronta ou desespero de causa, já que não teve nada pra falar de bom do seu próprio candidato. Queria saber se ele próprio (Carlos Mendes) irá votar no Cleber, que merece nosso respeito por apontar algumas boas intenções, mas sem estatura alguma pra ser governador do estado...mas retiro a pergunta, já que o voto é secreto...rs

      Excluir
  7. Na prática o povo paraense vai eleger Hélder ou agora no primeiro turno ou no segundo turno para romper com essa velha política que ao contrário que você falou, é praticada pelo pior governador do Estado do Pará dos últimos tempos chamado Jateve, Hélder e jovem têm vontade de mudar o nosso Estado e o principal tem propostas sim,ao contrário do que você diz carCar Mendes,alem do mais todos os candidatos para se candidatarem precisa registrar seu plano de governo na justiça eleitoral.Enquanto ao candidato fantoche do governador, vai sair do cebacen político do Pará junto com o seu criador,juntos criatura e criador vão para bem longe do Pará.

    ResponderExcluir
  8. Resposta única aos dois anônimos. 1) Aonde está escrito que ameacei processar alguém por emitir opinião Ora, se não faço e nunca fiz isso, é porque respeito as opiniões, divergentes das minhas. Mas, vê-se que querem imputar ao redator do blogue um candidato que ele não tem, até porque não acredita em nenhum deles que se apresenta ao governo do Pará. O que fiz foi dizer que o Cleber Rabelo foi melhor dos que os 4 no debate da Record. Dizer que ele merece uns bons votos foi uma forma de destacar esse desempenho dele no debate. Óbvio que os dois anônimos, por terem seus candidatos, ou o mesmo candidato, preferem desqualificar o vereador do PSTU. No mais, se querem debater a questão, melhor é deixar o matagal do anonimato. Sugiro até que escrevam um artigo para eu publicar aqui no Ver-o-Fato. É um exercício democrático. E aí?

    ResponderExcluir
  9. Gente vamos deixar de picuinha dia 07 tá chegando que vença o melhor.Agora que realmente governe junto a Constituição Federal,visando as politicas públicas,com uma agravante:"sem desviar dinheiro publico"

    ResponderExcluir
  10. Mete medo essa discussão. Nossa, defender o candidato Helder como opção de mudança, como se posiciona o "anônimo 21:15" é subestimar grosseiramente a inteligência das pessoas! Sr recolha-se e vá balançar bandeira nas esquinas pra garantir o DAS que, certamente, lhe foi prometido...eras!

    ResponderExcluir
  11. Carlos, com todo o respeito inerente, mas as propostas do candidato do PSTU são utópicas e descabidas. Sabemos dos conchavos e acordos que existem entre o executivo e o legislativo. Colocar um cidadão com uma visão tacanha assim, é como colocar um analfabeto para ser reitor de uma universidade!

    ResponderExcluir
  12. Na minha opinião, o mais triste é saber que estaremos lascados aqui no Pará com qualquer um desses candidatos, não tenho mais esperanças. Pensando em deixar o Brasil.

    ResponderExcluir