VER-O-FATO: A guerra judicial contra a Doxa e suas pesquisas eleitorais

quinta-feira, 23 de agosto de 2018

A guerra judicial contra a Doxa e suas pesquisas eleitorais


A empresa Doxa Arte e Comunicação Ltda, do cientista político Dornélio Silva, virou o "patinho feio" da eleição deste ano no Pará.  Genuinamente paraense e com elevado índice de acerto em suas pesquisas eleitorais - razão pela qual virou sinônimo de credibilidade em todo o estado - a Doxa, desagradou a um dos lados que disputa o governo do Estado, mais precisamente o MDB e seus aliados, além do PT. 
E se desagradou, porque seus números retratam a realidade do sentimento dos eleitores, passou a sofrer pedidos de impugnação e outras ameaças cujo objetivo é impedir a realização de seu trabalho. A propósito, a Doxa emitiu nota sobre as perseguições que vem sofrendo. Veja a íntegra: 
"Em ano eleitoral, é época das empresas de pesquisas aumentarem seu faturamento, com vários pedidos dos partidos e de candidatos. No Pará e em Belém isso não é diferente. Existem mais de 10 empresas de pesquisas cadastradas no TSE e/ou TRE-PA. A Doxa é uma delas, fundada por paraense legitimo, filho do interior do Pará, da cidade de Santarém, nascido às margens do Rio Tapajós. 

Dornélio – como é conhecido nos meios políticos e acadêmicos –, como todo jovem de sua idade, veio para capital para continuar seus estudos. Foi aluno do curso de Letras da UFPa e foi ficando pela capital, constituiu família, continuou seus estudos acadêmicos, tornando-se mestre em ciência política. 

A empresa que fundou com seus dois filhos é uma empresa familiar, mas altamente profissional. Seus dois filhos também tem formação e experiência nas lides políticas e eleitorais. 

Desde 2012, nas eleições municipais de Belém, a Doxa vem acertando as pesquisas de intenção de votos para prefeito. E nas eleições de 2014 e 2016 não foi diferente, com a reeleição do governador do Estado e do Prefeito da Capital. 

Desde janeiro 2018, conforme a legislação eleitoral própria, a Doxa é a única empresa paraense – e do Brasil! – que teve coragem de registrar três pesquisas no TSE e/ou TRE-PA. Contudo, temos certeza que todas as empresas do ramo fizeram e vão continuar fazendo pesquisa, seja para os partidos, seja para os candidatos, incluindo as “pesquisas para consumo interno”. 

Contudo, a Doxa, uma empresa paraense, com faturamento bruto de pouco abaixo do teto do SIMPLES, ano de vacas magras para empresas de pesquisas, está sendo vítima de lawfare, de uma guerra jurídica. 

Desde o início do ano, a Doxa vem se defendendo de quase 10 processos judiciais, já teve três auditorias “in loco”, com pedido de entrega de relatório, e ainda não se pode dar ao luxo de escolher partidos, porque todos ou todas as coligações já entraram na Justiça Eleitoral contra a Doxa, como por exemplo: Movimento Democrático Brasileiro – MDB, Democratas – DEM, Partido Republicano Da Ordem Social – PROS e as Coligações "O Pará Daqui Pra Frente" e “Lula Livre”. 

Um das manobras do lawfare é sufocar financeiramente o réu, com custos altíssimos de contratação de advogados, e também amedrontá-lo até que sucumba ao medo. Isso está acontecendo no atual momento contra a Doxa. 

A Doxa acredita na Justiça e na imparcialidade. Todas as decisões judiciais serão cumpridas, como tem sido feito desde o início do ano; contudo, fica cada vez mais nítido o objetivo de sufocar e descredenciar uma empresa respeitada no meio acadêmico e profissional. 

Felizmente, a estratégia só não está dando certo porque advogados amigos, conhecedores da história da empresa e dos desafios que ela tem enfrentado, estão assumindo sua defesa jurídica, enquanto seus sócios e sua equipe estão na linha de frente na defesa profissional e técnica da sua reputação. Belém, 22 de agosto de 2018. Doxa Arte e Comunicação Ltda".
                                                                                         Gostou da matéria?

Então clique em nossas redes sociais, abaixo, e siga as últimas notícias em tempo real, direto na sua timeline:
https://www.facebook.com/verofatonoticias/
https://www.instagram.com/ver.o.fato.noticias/
https://twitter.com/verofato

6 comentários:

  1. O Doxa, um instituto sério, teve sua pesquisa desprezada pelo Diário de campanha dos Barbalhos,curiosamente, o ibope que tem sérios erros teve sua pesquisa divulgada em primeira página por este jornal sem credibilidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O ibope do Montenegro que erra em todo Brasil, tem fama de ser comprado, daí surgem os "erros".

      Excluir
  2. Acho que o Ibope fala a verdade! Quem é esse Doxa?

    ResponderExcluir
  3. Todos os paraenses sabem para quem esse Dornelio trabalha .Ele tenta desmerecer as empresas concorrentes e ayraibda para si toda credibilidade.E quem está por trás é toda a Tucanalha do Pará, comandada pelo chefe cassado e corrupto Jateve.

    ResponderExcluir
  4. Há fatos, concretos, para impedir a realização de suas atividades? Não? Então parceiro, deixemos de papo-furado e façamos, cada um, sua parte...

    ResponderExcluir
  5. O retrato da pesquisa Doxa trouxe em primeira mão o que o Datafolha demonstrou recentemente : insatisfação do eleitor de todas as regiões. Além do desprezo aos políticos profissionais, como vemos nos altos índices de rejeição. Aqui no Pará, os dois institutos de pesquisa acertaram na mosca. Eleitor está indiferente às eleições, como aconteceu com a torcida brasileira e sua seleção na copa do mundo. Nem aí. Pelo andar da carruagem o volume de votos brancos e nulos será considerável .

    ResponderExcluir