terça-feira, 17 de julho de 2018

Ladrão rouba o Pará, mas deixa esmola. E aí, é pra denunciar ou agradecer?


"O Liberal" até deu manchete entusiasmada. O "Diário", jogou no canto da capa


Carlos Mendes

O ladrão entra na tua casa, rouba o que é teu, mas é flagrado. Na saída, você percebe que ele levou coisas de valor, digamos, avaliadas em R$ 50 mil. Você grita, esperneia, faz alarde, e o ladrão, "bonzinho", puxa R$ 1 mil do bolso e te dá.

E justifica: "pega aí, é pelo teu prejuízo. E não reclama, porque senão levo tudo e ainda te encho de porrada". Você fica agradecido, acreditando que ainda existe "bom ladrão" no mundo. É caso de polícia, mas você está muito comovido, embora não convencido, e prefere não denunciar o ladrão.

Pois é isto o que está acontecendo nesse episódio em que o governo de Michel Temer, cinicamente, dá uma banana ao Pará do tamanho do estado, rouba os paraenses, mas seus aliados, Barbalho e Jatene, vão a Brasília, recebem uma esmola e voltam felizes, acreditando que fizeram um bom negócio. Só faltaram beijar os pés do santo sacana.

É a velha manipulação de sempre, que aparece às vésperas de eleições. Agora, porém, o cenário político é nebuloso e de trevas. A maioria da população não acredita na classe política e quer vê-la arder no mármore do inferno.

Essa ideia parida no ventre do Palácio do Planalto poderá abortar mais cedo do que se imagina. Não há recursos para nada, embora haja inflação de promessas para candidatos enganarem os eleitores de seus estados. E isto não acontece somente com os políticos paraenses.

O país está falido, roubado por quadrilhas que estiveram e ainda estão no poder. Sempre há, contudo, quem acredite em fake news e a compartilhe, apostando na mentira e divulgando-a como se verdadeira fosse. 

Cala a boca

Segundo a fake news oficial, o governo federal destinou ao Pará os recursos que serão arrecadados com o leilão de um trecho da Ferrovia Norte-Sul. O bônus de outorga do trecho, que deve ser licitado ainda este ano, para iludir os incautos de que a verba vai sair mesmo, será de R$ 1,097 bilhão, e pode ser ainda maior, caso haja disputa no leilão.

O dinheiro irá para o Fundo Nacional Ferroviário, que terá como prioridade a aplicação de recursos para o Pará, segundo o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco. A criação do fundo ainda está em análise na área técnica e jurídica do governo Temer.

O ex-ministro Helder Barbalho, candidato ao governo do Pará, disse ao Estadão que o principal investimento que o novo fundo vai custear é a ligação da Ferrovia Norte-Sul, que hoje vai de Açailândia (MA), até Barcarena (PA), onde fica o Porto de Vila do Conde. O traçado de 477 km de extensão é considerado um dos mais difíceis da ferrovia e estava previsto desde a retomada das obras da Norte-Sul, em 2006, no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). 

O fundo também vai pagar, segundo Helder, os estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental (EVTEA) para a construção do perímetro da Norte-Sul no Pará, a serem feitos pela EPL, e a ponte rodoferroviária de Marabá (PA). Quando se fala em Marabá, outra obra de Santa Engrácia é o Pedral do Lourenço, para permitir a navegabilidade do rio Tocantins até Barcarena. Promessa na qual embarcaram nossos políticos. Hoje, nem eles falam mais nisso. Temem reavivar a memória e a ira dos eleitores.

Segundo Barbalho, esses dois itens  - ferrovia e ponte - devem custar R$ 1,2 bilhão e serão pagos com dinheiro da Vale. "O fundo será criado e gerido pelo governo federal, mas o dinheiro será 'carimbado' para não haver risco de que uma mudança de governo mude os planos", afirmou Barbalho. Quem assegura que o futuro presidente da República vai respeitar esse carimbo ordinário?

30 anos de enganações

Está na cara que Michel Temer quis criar, com essa fake news eleitoral, uma expectativa positiva de que a ferrovia, ligando Acailândia a Barcarena, vai sair e sairá com rapidez. Ora, não há sequer data marcada para o leilão. E, mesmo depois que isso for feito, o investimento na tal ferrovia não será imediato. 

Nada, hoje, sai do papel sem antes passar pelo rigoroso crivo do Tribunal de Contas da União (TCU). Além disso, o processo de licenciamento ambiental também é demorado, para evitar problemas anteriores na própria ferrovia Norte-Sul, um sumidouro de dinheiro público no ralo da corrupção.

A própria Norte-Sul  é o o maior exemplo de obra cara, inacadaba e que, 30 anos depois de iniciada, até hoje não funciona. Virou uma quase ferrovia "fantasma". Chega a ser inacreditável. O último trecho concluído. de quase 800 km, continua sem uso. Foi inaugurado em período eleitoral, mas, na prática, está paradinho. Exatamente porque não andou o projeto de concessão e, como se não bastasse, há denúncias de ilegalidades.

Resumindo: se nem o que já foi construído funciona, como é que se quer vender aos paraenses a tapeação eleitoral de que o trecho de 477  km de Açailândia até Barcarena será construído? É a mesma lorota da Ferrovia Paraense, que o governador Simão Jatene e seu secretário, Adnan Demachki, tentaram empurrar goelo abaixo dos chineses. A Fepasa deu com os burros n'água. Não emplacou por falta de interessados.

Chega de mentiras

O povo do Pará não tem mais idade, nem para ser ingênuo, nem para ser burro, e não vê nenhum motivo relevante para acreditar nas promessas de Michel Temer e de seus aliados. 

Melhor seria, em vez de plantar factóides e outros exercícios de pirotecnia eleitoral, devolver os R$ 39 bilhões que a União roubou do Pará com a famigerada Lei Kandir. Não vai colar a tentativa de aplicar o golpe do "joão-sem-braço" nos calejados paraenses com R$ 1 bilhão dessa ferrovia de mentiras embrulhada em papel celofane.

Aliás, seja quando for, essas ferrovias no Pará um dia terão que sair do papel. É um imperativo do desenvolvimento para o Estado romper o secular atraso social e político em que vive. Isto se tudo for bem pensado, para não se entregar a rapadura nas mãos de vorazes exploradores e grandes oligopólios, deixando povo mais pobre do que hoje está. 

Tapeação também tem limites. E o limite já foi ultrapassado. É hora de tomar vergonha na cara.

12 comentários:

  1. Muito bem colocado.
    Em verdade em verdade vos digo, caro Carlos Mendes, os políticos do Pará sempre foram, no mínimo, negligentes com o Estado. Nunca sequer formaram uma bancada paraense ou amazônida, como fazem os políticos do Nordeste, por exemplo, que atuam em bloco para liberar projetos. Se aplicam a verba como deveriam, é uma outra história mas nem isso os paraenses em Brasilia conseguem fazer.
    Os do Pará são "cada um por si" e o Estado que se exploda. Isso tem que mudar.

    ResponderExcluir
  2. ESSE QUADRO MOSTRA QUE O PARÁ TEM UM ROL DE POLÍTICOS ABSOLUTAMENTE INCOMPETENTES, JADER BARBALHO, SIMÃO JATENE, PAULO ROCHA, HÉLDER BARBALHO, FLEXA RIBEIRO, ÉDER MAURO, WLAD, MÁRCIO MIRANDA, EDMILSON RODRIGUES, NILSON PINTO, PRIANTE, ELCIONE, JORDY. O QUE ESSAS FIGURAS ESTÃO FAZENDO NOS CARGOS QUE A POPULAÇÃO OS CONCEDEU?, ESSAS FIGURAS MOSTRAM QUE ALÉM DE CORRUPTOS E INCOMPETENTES, NÃO TEM O MENOR PRESTÍGIO DIANTE DO TAMBÉM CORRUPTO GOVERNO FEDERAL.

    ResponderExcluir
  3. O anônimo das 19:43 generaliza em seu comentário, embora entendamos sua revolta contra a classe política. Toda generalização é perigosa, porque embola e joga no mesmo buraco quem não merece a consideração do povo e quem merece, mesmo que não tenha uma atuação perfeita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo. Nessa relação tem políticos sérios e que já trouxeram muitos recursos e benfeitorias para Belém e o Pará!

      Excluir
  4. Além desses caras roubarem o Pará, ainda deixam o Pará ser roubado, vergonha, fora todos eles!!

    ResponderExcluir
  5. Não adianta,engole o choro, mesmo com essa campanha quase desesperada de setores da mídia falada e principalmente escrita o projeto da ferrovia conseguido pelo nosso futuro governador Hélder é viável e como a própria reportagem diz já está empenhada pelo governo federal.Portanto se têm algum político lutando pelo nosso povo é Hélder.

    ResponderExcluir
  6. PR, PSDB, PT, MDM, DEM, são um câncer para o estado e o país, só o povo, através do voto, pra jogar todos esses sem vergonha na lata do lixo.

    ResponderExcluir
  7. Existem 2 tipos de partidos: o sério e o que chegou ao poder. O resto é bañela.

    ResponderExcluir
  8. Tudo farinha do mesmo saco, só o voto popular pra tirar esses indivíduos da vida pública pra não voltarem mais.

    ResponderExcluir
  9. Hélder governador já! O para não aguenta mais tucano!

    ResponderExcluir
  10. Lixo + alagamentos + chacinas + milícias + morte de pms = Zenaldo + Jatene

    ResponderExcluir
  11. Se esses incompetentes tivessem trazido alguma benfeitoria pra esse estado, o mesmo não estava entregue as baratas como está, o pior é que a maioria desses indivíduos dessa lista vão querer voltar esse ano com a maior cara de pau, mas o povo não vai deixar, eles não merecem essas mordomias e esses altos salários as custas do suor do trabalhador do Pará e do Brasil, o pior é que nessa lista ainda tem deputado que quer dar uma de "pobrezinho".

    ResponderExcluir