sexta-feira, 29 de junho de 2018

O DESMONTE DO CURSO DE DIREITO DA UNAMA


O curso é um dos melhores da região, mas a procura caiu e enfrenta problemas

O curso de direito da Universidade da Amazônia (Unama), um dos mais tradicionais da região norte do Brasil, com mais de 45 anos de existência, passa por um dos momentos mais delicados de sua história.

O Grupo Ser Educacional, mantenedor da instituição, decidiu fechar o Instituto de Ciências Jurídicas (ICJ), localizado no Campus da Senador Lemos. Sob a justificativa de falta de segurança para docentes e discentes. Contudo, a “versão oficial” pode agradar capa de jornais, mas é devidamente contestada pela realidade.


O campus não irá fechar por conta da insegurança na área – que é um problema – mas devido à diminuição no número de matrículas de novos alunos e a “quebra do FIES” (a crise chegou e não quer ir embora).

Os acadêmicos de direito da Unama vão deixar para trás uma ampla infraestrutura que abrigava laboratórios de informática, biblioteca com três andares (apenas com livros jurídicos), dezenas de salas de aula, dois auditórios, Núcleo de Prática Jurídica, Tribunal do Júri, Juizado Especial, central de atendimento específica para os alunos do campus e generoso estacionamento. Cadê o Centro Acadêmico?

Os acadêmicos estão calados? É final de semestre, os alunos não querem saber de nada e o centro acadêmico se reduz a promoção de eventos jurídicos . E para completar o processo de desmonte do curso de direito, as demissões em massa de professores iniciaram.

Apenas nesta quinta-feira (28), seis professores foram demitidos. Entre eles Ivanildo Alves, ex deputado estadual, que há 26 anos ministrava aulas de processo de Direito Penal na instituição.

O curso de direito da Unama será transferido para o bloco D, do campus da Alcindo Cacela. Assim sendo, o ICJ ficará menor. Em todos os aspectos. Esse será o destino do já considerado o melhor curso de direito de nosso estado, perdendo para a catraca... (Lucas Nogueira)

9 comentários:

  1. Tá faltando prsquisar melhor as informações. O centro acadêmico está agindo, mas infelizmente tá faltando apoio da comunidade eatudantil. Nisso concordo.

    ResponderExcluir
  2. Sera que apoio estundantil? Ou as instituições perderam a credibilidade?

    ResponderExcluir
  3. A verdade é a falta de docentes humildes,acham que são os donos da verdade por terem doutorados,podem farem o que querem,isso serve de exemplo para outras universidades como exemplo a Estácio.Universidade sem aluno não funciona.Por isso,o que a UNAMA estar fazendo é o correto,tem que renovar mesmo,tirando os soberbos,parabéns a diretoria da renomada UNAMA...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa kkk comentário anônimo Kkkkk se quiser defender os santos da Ser melhor colocar seu nome kkkk

      Excluir
  4. Uma gestão desastrosa deste grupelho de espertos e oportunistas, em total conluio com o MEC, visando exclusivamente o lucro. É uma tristeza, uma INfelicidade, ouvir do curso de direito na senador.

    ResponderExcluir
  5. Isso é reflexo de um processo de destruição do sistema público de educação, para favorecer o mercado educacional privado, em tempos de crise este modal malévolo se corrói.

    ResponderExcluir
  6. Professora, com todo respeito...
    Agora só falta o comprometimento com o ALUNO e a valorização com os professores! Educação não é comércio!
    Desse GRUPO eu prefiro NÃO SER!

    ResponderExcluir
  7. Grupo lixo zero de respeito aos alunos, e professores que foram demitidos mesmo possuindo avaliações ótimas, graduações presenciais mais que o aluno é obrigado a fazer disciplinas como metodologia da pesquisa no modo EAD - A DISTÂNCIA EM UM SISTEMA QUE VIVE FORA DO AR, prova "Colegiada" lixo vem com erros grotescos de gramática, coesão e coerência, grupo autoritário não ouve nem professores nem os alunos, e obriga os professores a assumir pelos erros deles ser luvracional foi a pior merda que aconteceu a unama, enfim a unama era uma sonho, com a chegada desses mercenários tudo virou um pesadelo.

    ResponderExcluir
  8. TELMO LIMA MARINHO4 de agosto de 2018 23:51

    A UNAMA paga pelo alinhamento ao DIREITO DA DIREITA. Com Juizes, Promotores, Delegados e Policiais (Oficiais da PM) ensinando como 'professores' não se formam ADVOGADOS e sim carreiras jurídicas de Estado (concurseiros para Delegado de Policia, promotores etc). Um curso onde se ensina ideologia CONTRA A DEMOCRACIA e OS DIREITOS HUMANOS (Ivanildo Alves e Cia) não pode ser levado a sério, nem aqui nem no Mundo...

    ResponderExcluir