quinta-feira, 10 de maio de 2018

TRIBUTO A UM EXEMPLO DE VIDA



Carlos Lamarão - advogado *



Nelson Maués, advogado brilhante e um dos maiores ícones do esporte paraense, conseguiu resgatar, com muita habilidade e conhecimento, alguns fatos que fazem parte integrante e indissociável da memória histórica de Belém das décadas de 1960/1970. Naqueles tempos idos, a cidade praticamente parava para assistir as acirradas disputas entre as equipes de basquetebol do Clube do Remo e do Paysandu Esporte Clube.


No seu livro, "De Mosqueiro a Xangai - Que viagem é essa?", escrito em linguagem simples, franca, honesta, impecável, elegante e agradável, características que se confundem com a própria pessoa do autor, Nelson revive, também, com indisfarçável emoção, fatos e episódios que marcaram para sempre sua vida e a de sua família, desde o dramático afundamento do navio " Itapagé", onde viajavam seus pais e os irmãos, Sérgio e Fernando, bombardeado por um submarino alemão em 26 de setembro de 1943.

Perderam tudo, mas preservaram a dignidade e o profundo afeto e carinho que unia aquela família de pessoas boas e honradas. Fala sobre o difícil recomeço, em Mosqueiro, e do nascimento do irmão-caçula, Haroldo (Manolinho), que se tornou outro inesquecível astro do basquete remista, ao lado de Edyr Goes, Sérgio Paiva, e outros.

Narra, ainda, com serenidade e equilíbrio, atributos que lhe são peculiares, as alegrias e tristezas sentidas dentro e fora das quadras, remetendo o leitor à realidade do esporte juvenil e adulto, amador e profissional. Numa sequência de crônicas que revelam seu espírito elevado, Nelson relembra os amigos e as viagens; sua passagem pelo time do Remo e a conturbada transferência para a equipe do Paysandu.

Relembra as vitórias e delírios das torcidas inflamadas nos finais dos jogos de torneios amistosos e campeonatos; a convocação para a seleção brasileira e muitos outros fatos interessantes. Rompe com os preconceitos e desnuda seus sentimentos, sonhos e desencantos da juventude, com a mesma franqueza e naturalidade com que expõe o cotidiano e a hipocrisia social da época.

Enfim, um livro importante, de leitura prazeirosa e que serve de bom exemplo às novas gerações de atletas.E muito mais!! Parabéns, Nelson!!
* Carlos Lamarão  é advogado, ex-presidente do Iterpa e ex-superintendente do Incra no Pará, além de procurador do Estado. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário