segunda-feira, 30 de abril de 2018

MORADIA: AS IDEIAS DE UM CABO DA PM EM CARTA ABERTA AO GOVERNADOR, SECRETÁRIOS E COMANDANTE-GERAL



Em meio à morte crescente de policiais militares nas mãos do crime organizado, protesto de mulheres de militares preocupadas com o risco diário de morte a que estão expostos seus companheiros, denúncias de carência de armamento e melhores condições de trabalho nas ruas, um cabo da Polícia Militar do Pará, Reinaldo Leão, contribui com ideias - plenamente viáveis e que faz tempo já deveriam ter sido  adotadas - pelo menos para resolver o grave problema de moradia desses policiais. 


Em carta aberta ao governador Simão Jatene, aos secretários de Estado, e ao comandante-geral da PM, coronel Hilton Benigno de Souza, o cabo Leão apresenta abaixo suas sugestões.

E nelas descarta a ideia de um conjunto habitacional só para policiais, afirmando que isso seria "não uma utopia, mas um pesadelo", pois em vez de resolver o problema de moradia "exporia ainda mais" os militares e seus parentes ao risco de morte. Veja a carta do cabo Leão: 

"Ilmo.sr.governador do Estado do Pará 
Secretários e ao comandante-geral da PMPA

Senhores
 
É com humildade que venho até vós expor minhas ideias de forma qualitativa e sem bandeiras partidárias. Somente pelo motivo maior de sermos profissionais concursados e de cargos efetivos deste Estado. Na atual conjuntura social, onde membros da segurança publica deste estado vem sofrendo, digo: “ataques terroristas contra a vida".

Simplesmente por morarem em bairros periféricos da área metropolitana da capital. E são exibidos como troféu na mão de contraventores. Situações extremas exigem medidas extremas! Minha colaboração é com ideias!


Ideias essa expostas a seguir:


- A correção do soldo (vencimento base) com o salário mínimo é inevitável, pois é garantia constitucional;


- O aumento no auxílio moradia, que hoje é de 30%, para 100%. Facilitando o pagamento das parcelas de um apartamento em condomínio fechado, em virtude da média da prestação dos condomínios serem em torno de um salário mínimo na região metropolitana;


- Buscando colaboradores no Banpará, Cohab e iniciativa privada, para juntos organizarem a solução da vida desse servidor, na forma:


Cohab
– Com o corpo técnico, avaliando o imóvel do policial, oferecendo melhores orientações para uma boa venda no mercado imobiliário. Emitindo ao Banpará um parecer de quanto vale o imóvel e com quanto tempo médio, segundo o mercado, poderia vendê-lo.


Banpará – Com o laudo técnico da Cohab, contendo valor máximo de venda do imóvel e possível prazo de venda, o Banpará deixaria uma reserva financeira, em até 80% do valor desse imóvel, a fim de garantir o pagamento inicial do novo imóvel. Assim, o servidor da área da segurança, poderia comprar uma casa ou apartamento de forma emergencial. 

Sendo que esse financiamento seria direto entre Banpara e a construtora, para que não houvesse qualquer desvio de finalidade, e acordos assinados. Que após venda do imóvel antigo, quitaria o financiamento com o Banpará em um prazo moderado, conforme orientações de tempo de compra e venda expedida pela Cohab.

- As empresas privadas que comprarem os imóveis destes policiais terão isenção fiscal no valor do imóvel. Construir residenciais somente para policiais não é uma utopia e sim um pesadelo. 

O crime está nos “abatendo” na entrada de nossas casas. Havendo um local onde todos saberiam que quem mora são policiais, nos tornaria mais alvo ainda. Pois quem entrasse ou saísse desse local, seria um policial ou parente. Seria uma carnificina! Prato cheio para bandidagem. 

Haja vista, termos na grande área metropolitana muitos apartamentos e casas para pronta entrega. O nosso próprio regulamento diz que devemos ter vidas reservadas e condizentes com nossa função. Então, para quem interessa saber onde moramos ?

Desde já, meus cumprimentos.

Que Deus ilumine suas mentes, e sejam homens e mulheres eternizados por atos valorosos !

Belém-Pá, 30 de abril de 2018.

CB PM RG 32688- Reinaldo F.B. Leão"


4 comentários:

  1. Carlos Mendes, preocupa o legado que o PSDB destina aos paraenses...

    ResponderExcluir
  2. Mediante a grave situação e a incompetência do governo, é possível que essa proposta seja realizada. Obviamente, não em sua plenitude. Seria humilhante para a tucanada...!!!

    ResponderExcluir
  3. Respeito todos profissionais sejam eles PMs, dentistas, veterinários etc. Todos devem ter uma vida digna. Agora, Sr. Cabo, e como fica a população que sustenta esta máquina? De onde ela vai tirar dinheiro para bancar estes benefícios? Sr. Cabo, o Sr. nunca perdeu o emprego, ganha pouco, a sociedade sabe. E os que sequer têm um salário no fim do mês. Jatene não nada, mas fora dos funcionários públicos tem o resto população. Por esta razão deixo-lhe uma pergunta: A quem devemos recorrer para ter uma Polícia menos corrupta e violenta ou isso não é preocupante?

    ResponderExcluir
  4. Carlos Mendes, todos sabemos que nunca esse governadorzinho de meia tigela, fará isso, se o fizer ele estará passando o recibo de incompetente, coisa que a Tucanalha do Pará jamais demonstrarar isso.Portanto essa carta desse militar não passa de uma Utopia, pois num Estado onde a autoridade máxima é o maior criminoso, pois desobedece decisão judicial e não paga o piso salarial nacional dos professores desde 2015, o que você quer dum governador com esses credencias?Se a justiça fosse séria no Pará este desgovernador cassado já estaria no mínimo preso.

    ResponderExcluir