domingo, 29 de abril de 2018

ELA PEDIA SOCORRO, ERA DA PM, MAS NÃO A OUVIRAM: CABO FÁTIMA ESTÁ MORTA

Cabo Fátima avisou a polícia que queriam matá-la. Nada fizeram
O crime organizado continua a vencer por 7 a 1 a segurança pública do Pará. E o jogo ainda está no primeiro tempo. E mais um policial militar acaba de tombar sob as balas dos assassinos:  invadiram agora há pouco a casa da cabo Maria de Fátima Cardoso dos Santos, de 49 anos, na rua Cintra,  bairro do Curuçambá, em Ananindeua,  e efetuaram varios disparos contra ela, matando-a.
 

De quebra, os executores ainda levaram a arma e o colete da policial. Família em prantos, vizinhos assustados, muita gente no local, inclusive viaturas da PM e Polícia Civil. É a 21ª morte de PMs neste quarto mês de 2018, média de cinco por mês, um a cada seis dias.

Como em outros casos, a cabo PM Fátima sofria ameaças de morte. Quase todo dia ela pedia apoio das viaturas policiais, dizendo que os bandidos  estavam atrás dela. Nenhuma providência foi tomada para prevenir  e evitar mais esta morte anunciada. 

Segundo um militar informou ao Ver-o-Fato, Fátima foi na Seccional do PAAR, junto com policiais da inteligência da PM, dizendo que um homem conhecido na área pelo apelido de "Pão de Cinco" teria recebido ordem da cadeia de Americano para matá-la.

Enquanto a polícia é exterminada - e os cidadãos comuns, também, em matanças que se seguem a cada dia - o discurso governamental é de que tudo está bem e seguro, como é público e notório nas vozes da omissão.

Ah, meu Pará, é este o estado a que chegamos?  

A polícia no local do crime: a residência de Fátima, invadida pelos assassinos


6 comentários:

  1. É uma pena o que aconteceu com esta policial, que a sua familia tenha forças para superar este momento difícil e que os responsáveis por este crime sejam identificados e penalizados.

    ResponderExcluir
  2. incrível como todas as vezes que alguém clama por socorro ao governo Jatene acaba morrendo pela omissão desse desgoverno. É so lembrar daquele líder quilombola morto em março desse ano em barcarena

    ResponderExcluir
  3. Lamentável, às matanças não tem limites e agora infelizmente os alvos são agentes do sistema de segurança pública, enquanto isso o governo sequer se colocou a disposição para qualquer solução e efetivamente atuar com inteligência no combate à violência contra os policiais e a população como um todo. Fica aqui a minha solidariedade aos seus famíliares e colegas de classe.

    ResponderExcluir
  4. Outubro tá na porta...!!!
    Espero que não nos esqueçamos...

    ResponderExcluir
  5. Que a família se conforte nos beaços de Deus! Muita força é fé.

    ResponderExcluir
  6. Omissão do Estado,lamentável!

    ResponderExcluir