VER-O-FATO: VENENO NAS ÁGUAS, MAL ODOR NOS GABINETES

terça-feira, 6 de março de 2018

VENENO NAS ÁGUAS, MAL ODOR NOS GABINETES

Charles Alcântara - auditor fiscal *

O artigo do advogado Ismael Moraes, “A macabra matemática norueguesa: 4 mil empregos por 60 mil vidas”, desmascara a chantagem encoberta pelo discurso da geração de empregos, que é utilizado como álibi para tudo, inclusive para matar.

Quatro mil empregos não são salvo-conduto para o envenenamento das nossas águas e o atentado contra a saúde e a vida de um único ser humano, quanto mais de dezenas de milhares, principalmente em se tratando de uma empresa que lucra mais de R$ 5 bilhões por ano com a exploração das nossas riquezas, e que foi agraciada com mais de R$ 7,5 bilhões em dispensa de impostos.


A caixa-preta das renúncias fiscais, aliás, é lustrada pela narrativa da geração de empregos, sem que as autoridades se dignem a demonstrar quantos empregos, afinal, foram gerados ou mantidos por essa política e qual o custo - financeiro, ambiental e social - desses supostos empregos. Embora bem lustrada, a caixa-preta segue blindada.

Na condição de Auditor Fiscal do Estado do Pará, não tenho o menor receio de afirmar que as renúncias fiscais tornaram-se um balcão de negócios a serviço de podres poderes. Aliás, é o que venho denunciando há vários anos.

Hydro e seus cúmplices, do mercado e do governo, recorrem à narrativa chantagista da geração de empregos, como se os verdadeiros donos da riqueza dependêssemos da agressora, e não o contrário.

Hydro e seus cúmplices, do mercado e do governo, tratam-nos como tolos, servis, inferiores.

O envenenamento das nossas águas já não pode ser negado, porque escancarado, mas os bastidores dos acordos celebrados entre a Hydro e agentes políticos do Estado, estes, embora ainda não revelados, já começaram a cheirar mal.

Enquanto as nossas águas foram criminosamente envenenadas, o ar dos gabinetes palacianos exala mal odor.

* Charles Alcântara - é auditor fiscal da Sefa e presidente da Federação Nacional do Fisco (Fenafisco).

Um comentário:

  1. É de pessoas como o auditor fiscal charCha Alcântara que o estado do Pará está precisando, pessoa que está se vendo que não é comprado pela Hydro e nem obrigado pelo governo estadual a mascarar o que está acontecendo em Barcarena,par parab pela sua coragem .

    ResponderExcluir