INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL

Linha de Tiro - 19/04/2018

domingo, 4 de fevereiro de 2018

ZENALDO DECRETA A MORTE DO CARNAVAL EM BELÉM, MAS O DEFUNTO AINDA SAMBA

A nova avenida do samba em Belém, segundo a prefeitura: carnaval aquático


Rufam os tamborins do prefeito de Belém, anunciando, por morte matada, a morte do carnaval paraense. Que já um dos melhores do país, isso lá pelos anos 70, quando nosso ufanismo caboclo ainda podia se dar a tamanho orgulho.

Hoje, só restam cinzas e vergonha. A alegria das manifestações rítmicas, das fantasias e cadência dos batuqueiros, foi espancada com requintes de crueldade e levada à UTI da indiferença  oficial.

A transferência dos desfiles da Aldeia Cabana - ou Amazônica, sei lá que nome tenha ou venha a ter nas mãos de governante de plantão - para a avenida Marechal Hermes, conhecida por seus constantes alagamentos, simboliza o desprezo do gestor público pela cultura popular.

Alega-se que foi a própria Liga das Escolas de Samba quem pariu a infeliz ideia de mudar o local do desfile. Sabe-se, porém, segundo uma fonte, que foi o próprio Zenaldo Coutinho que impôs aos dirigentes que a Aldeia não seria mais utilizada no carnaval em razão de supostas reclamações dos moradores da Pedreira, inclusive contra a violência na área.

É aí que mora a hipocrisia: qual o local de Belém, hoje, que se pode denominar de seguro para realizar qualquer evento que atraia grande público? Nenhum. A violência está em todo canto, todo dia e a toda hora. 

Dos 3 esses de Zenaldo - e de suas promessas não cumpridas -, o da segurança  é o mais patético. Ele, aliás, foge do assunto como o diabo da cruz. E joga tudo no colo do parceiro de legenda, Simão Jatene, que parece também ter jogado de vez os paraense às feras.

Outra coisa: é, no mínimo, um contrasenso, o chamado bairro do samba e do amor rejeitar o amor pelo samba e amaldiçoar o local que ele próprio aprovou para abrigar os desfiles da folia momesca.

A patuscada oficial, enfim, ergue o seu epitáfio: o carnaval em Belém, bancado por subvenção da prefeitura, na malfadada gestão do prefeito tucano, está morto e enterrado.

O carnaval das escolas de samba partiu desta para a melhor. E a prefeitura já escolheu o local do enterro: a Marechal Hermes, onde a solidão fixou residência. Tudo a ver

O morto agradece. E samba na própria sepultura.

Viva o carnaval!


As baianas, coitadas, com a pista inundada, tiveram que desfilar na calçada: patético

2 comentários:

  1. Em outubro é só votar para Governo, no candidato do Zenaldo Marcio Miranda(deputado) amigão do Prof. Jaja.

    ResponderExcluir
  2. Parem de votar nessa Tucanalha,em 2018 elegeremos Hélder governador.

    ResponderExcluir