INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL

Linha de Tiro - 19/04/2018

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

UM GUARDA E UM PEDREIRO: DOIS CRIMES BRUTAIS EM MEIO A TANTAS MORTES NA BELÉM ATERRORIZADA

Viver - ou melhor, sobreviver - em Belém representa a cada dia um novo desafio para seus moradores. Os criminosos, como ervas daninhas, estão por toda parte. Não poupam ninguém e agem com assustadora sensação de impunidade.

Isto fica mais evidente a cada assassinato cometido a qualquer hora do dia ou da noite. Seja no bar, no escritório, dentro de veículos, no transporte coletivo ou numa esquina qualquer, diante de testemunhas. Nada os intimida.

A morte do guarda de trânsito da Semob, Hilário Colino Neto, de 53 anos, assassinado com varios tiros por dois homens que estavam em uma motocicleta, na esquina das avenidas Pedro Álvares Cabral e Tavares Bastos, resume por tabela a falência da própria segurança pública.

O agente da Semob estava em serviço e teria - isso precisa ser investigado a fundo, até para identificar se houve algum registro da placa da motocicleta dos bandidos no talão de multas - sido vítima de uma cruel vingança de infratores do trânsito. 

Constam ainda outros episódios em que Hilário teria mandado guinchar  carros de policiais estacionados no Largo das Mercês e sido agredido por um homem, na avenida José Bonifácio como protesto por ter levado multa. Nesses três casos, Hilário estava no cumprimento de seu dever profissional. 

Na semana passada, nas redes sociais, foi divulgado um video - inclusive reproduzido pelo Ver-o-Fato, em que um homem, com farda da Semob, em serviço, estaria namorando na esquina da Senador Lemos com rua José Pio. Seria o mesmo Hilário? Cabe à Semob esclarecer. 

Três horas depois da morte de Hilário no bairro da Marambaia, um jovem de 21 anos, identificado como Wallace Martins Coelho, foi assassinado a tiros no bairro do Tenoné, em Belém. O crime ocorreu por volta das 13h, na passagem Santa Julia, no final da Sexta Linha do bairro. 


De acordo com a Polícia, a vítima fazia serviços como ajudante de pedreiro em uma casa quando foi abordado por uma dupla de motoqueiros. Um dos suspeitos efetuou cinco disparos contra a vítima. Os executores fugiram do local e ainda não foram identificados. O crime tem características de execução, pois, segundo a polícia, Wallace pode ter sido usuário e vendedor de drogas. 

Os dois crimes serão esclarecidos pela policia? Esperamos que sim. Assim como outros milhares até hoje não solucionados. Inquéritos sem investigação acabam sempre definindo as mortes como "acerto de contas". Uma falha gritante.

Chega de tanta violência e mortes. Belém, aterrorizada, clama: "basta" !  (Do Ver-o-Fato, com informações do G1 Pará)

Nenhum comentário:

Postar um comentário