VER-O-FATO: OS CRIMES DA HYDRO CONTRA BARCARENA, HOJE À NOITE, NO "LINHA DE TIRO": É IMPERDÍVEL

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

OS CRIMES DA HYDRO CONTRA BARCARENA, HOJE À NOITE, NO "LINHA DE TIRO": É IMPERDÍVEL

Defensor de 60 comunidades de Barcarena, o advogado Ismael Moraes é o convidado desta noite do programa "Linha de Tiro". A transmissão do programa ocorre de 8 às 9 da noite, pelo canal Ver-o-Fato Noticias e também diretamente na página do blogue Ver-o-Fato, além da plataforma no Youtube.

Ismael Moraes vai falar da contaminação dos rios, matas e da água  ingerida pelas comunidades, os processos que ele move contra a Hydro na Justiça Estadual e Federal, a atuação da Semas estadual e da prefeitura de Barcarena na apuração das denúncias feitas pelas comunidades. 

Ele também vai anunciar algumas providências que serão tomadas após o laudo do Instituto Evandro Chagas ter confirmado a contaminação dos moradores pelos rejeitos de bauxita lançados pela Hydro - até clandestinamente - nos rios da região.

É para não perder. 

Um comentário:

  1. Parabéns pelo programa Linha de Tiro de ontem, falando sobre os crimes da Hydro contra Barcarena. Gostaria que não publicasse o que vou escrever aqui, sou funcionário da Setran e como no final do programa foi falado sobre o secretário de transportes kleber Menezes, vou aqui falar reservadamente sobre esse paraquedista que caiu como uma bomba na Setran. Extremamente arrogante, humilha todos os funcionários com gritos e ofensas, empresas estão fazendo serviços sem a devida licitação pública, quando vai pra licitacao a obra já está quase pronta, muitas concorrências estão ocontecendo com apenas uma empresa na licitação, tem acordo antes, com as empresas, sob ameaça se não cumprir fica sem obra, tudo carta marcada. As obras financiadas pela Caixa Econômica, sob o aval do governador para dividendos políticos, busque as concorrências lá dentro, que vai descobrir, foi tudo acertado antes, editais direcionados e quando não se acerta acontece a paralisação como está ocorrendo com a construção da ponte do meruu que já foi adiada varias vezes sem acordos.

    ResponderExcluir