VER-O-FATO: LAUDO DO "EVANDRO CHAGAS" É CONTUNDENTE, COMPROVA CONTAMINAÇÃO E ATESTA O QUE O BLOGUE AFIRMOU: A HYDRO MENTIU

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

LAUDO DO "EVANDRO CHAGAS" É CONTUNDENTE, COMPROVA CONTAMINAÇÃO E ATESTA O QUE O BLOGUE AFIRMOU: A HYDRO MENTIU

Um laudo contundente, devastador, com recomendações técnicas para que as falhas sejam corrigidas. O Instituto Evandro Chagas divulgou na tarde desta quinta feira o laudo da coleta de águas feita após as denúncias de moradores de comunidades de Barcarena sobre vazamento das bacias de rejeito da mineradora norueguesa Norks Hydro.

A Hydro foi acusada de contaminar rios, igarapés e poços artesianos das comunidades com rejeitos de bauxita. O Evandro Chagas confirmou a contaminação, dizendo que os índices detectados pelos peritos revelam extremo risco à saúde das famílias.

De acordo com o pesquisador em saúde pública Marcelo de Oliveira Lima, houve o vazamento das bacias de rejeito. Os efluentes foram fotografados invadindo uma área ambiental. O laudo desmente a versão apresnetada pela Hydro. Ela negou peremptoriamente o vazamento. 

Marcelo Lima disse que havia uma ligação clandestina para liberar esses produtos para a área externa da fábrica da Hydro, pois eles ficam acumulados. Os efluentes são contaminados com metais pesados e prejudicam o meio ambiente estendendo seus males até às comunidades vizinhas.

O vazamento afetou as áreas das comunidades de Bom Futuro, Vila Nova e Burajuba. No material coletado no dia 17 na barragem, na tubulação com ligação clandestina e no igarapé localizado na vila Bom Futuro, os índices de sódio, nitrato e alumínio estavam acima do permitido, além do PH estar no nível 10. "Ou seja, o líquido estava extremamente abrasivo e nocivo aos seres vivos", destaca o pesquisador. 

Mais veneno

 

De acordo com o laudo do IEC, a análise das amostras também revela um nível alto de chumbo, que, com o consumo contínuo, pode gerar câncer. "Essa contaminação é nociva e prejudicial às comunidades que utilizam os igarapés e rios como forma na busca do alimento, com a pesca, e também o lazer. Além disso, há a contaminação do meio ambiente como os seres vivos e plantas", alerta o pesquisador. 

Segundo a perícia, a empresa não tem capacidade de tratar os seus efluentes, e o IEC recomenda que, neste momento de chuvas fortes, seja reduzido os suspenda a produção, porque as bacias não irão suportar o grande acúmulo de material. "Se a empresa continuar com a elevada produção de material, novos vazamentos ocorrerão sem dúvida alguma, principalmente neste período de chuvas intensas". 

"Outro fator que detectamos foi que não há um plano de alarme emergencial da empresa para a comunidade caso haja algum rompimento ou desastre", enfatizou o analista do IEC. 

Já foram instaurados dois inquéritos pelo Ministério Público do Pará para apurar as denúncias de vazamentos ocorridos em Barcarena. Um inquérito civil foi instaurado pela Promotoria de Justiça de Barcarena e está sendo elaborado a partir de informações colhidas pelos promotores de justiça Laércio Guilhermino de Abreu e Daniel Barros, para apurar um suposto vazamento de rejeitos e seus impactos ao meio ambiente. 

O segundo inquérito, instaurado pela promotora Eliane Moreira, da 1ª Região Agrária, apura os impactos socioambientais possivelmente provocados pelo vazamento, em especial os que podem ter afetado comunidades rurais e territórios de Barcarena onde vivem ribeirinhos e comunidades tradicionais. As atividades da Hydro Alunorte também serão alvo de investigação durante este procedimento. Do Ver-o-Fato, com informações do G1 Pará.

Nota do blogue - o que falta, agora, para os Ministérios Públicos Federal e Estadual, após a instauração de inquéritos, pedir as prisões de agentes públicos que nada fizeram ou fiscalizaram, seduzidos pelo poder da Hydro, e dos diretores da multinacional, que agiram dolosamente ao colocar em risco milhares de vidas humanas? 

Será que vão remediar a gravidade dos fatos, ou propor um TAC, conhecido e ineficaz instrumento que consagra a preguiça de quem não gosta de trabalhar, ou prefere poupar de processo judicial quem age contra o interesse público? 


6 comentários:

  1. Estranho é ver a Secretaria de Meio Ambiente defender a Hidro, afirmando que não havia vazamento e nem contaminação. Muito estranho não?

    ResponderExcluir
  2. e$$$$tranho muito e$$$$$$$tranho, não é Lui$$$$$$ Fernande$$$$$$$?

    ResponderExcluir
  3. Caro Carlos Mendes, há alguma doação da Hydro/Vale para campanhas eleitorais dos Candidatos a Governo do Estado passados? Alguém, supostamente, está recebendo dinheiro para não multar essas empresas.

    O Liberal parece qua não recebem mais mesada da Vale/Hydro, pois agora decidiram divulgar essas contaminações que ocorrem desde sempre em Barcarena. Lembro em um ano que houve vazamento e a Tv Liberal no seu Jornal divulgou que tratava-se de um fenômeno da natureza que provocava a coloração avermelhada no Rio. Eu vi o rio contaminado nesse dia e claramente não era fenômeno algum, era vazamento!

    ResponderExcluir
  4. Infelizmente o Procurador geral do Estado acorvadou diante do governador Tucanalha Jateve,cadei no procuProcu geral,no desgovernador Jateve e no Secretário Luíz Fernandes já!

    ResponderExcluir
  5. Não existe mineradora em Barcarena e sim uma refinaria.
    Pq não divulgam o laudo na imprensa,para que possamos ver os resultados?
    A Hydro tem valores diferentes dos da Vale, do contrário isso nem estaria na midea.
    Parece que o laudo aponta contaminação maior nas comunidades e menor dentro da refinaria, estranho não?

    ResponderExcluir
  6. O blog poderia divulgar o laudo nas íntegra para os leitores acessarem...

    Onde está o laudo. Foi publicado?

    ResponderExcluir