INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL

Linha de Tiro - 19/04/2018

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

FALIDA, BIG BEN FECHA LOJAS NO PARÁ E FAZ DEMISSÕES EM MASSA DE EMPREGADOS

Cerca de 38 lojas da empresa amanheceram fechadas em toda a cidade de Belém

Essa pedra foi cantada ano passado, no bingo das empresas quebradas do país. Agora, chega a confirmação: a rede de farmácias Big Ben quebrou e os empregados estão sofrendo demissões em massa. Em Belém, todas as lojas, com exceção das raras que funcionam 24 horas, fecharam hoje suas portas, mas até agora não foi emitido qualquer comunicado de Raul Aguillera, ex-dono das lojas no Pará e em vários estados, sobre o que ocorreu.



As informações que circulam são de que a rede Raia Drogasil, maior credora da cadeia de farmácias Brasil Pharma - de André Esteves, envolvido até o pescoço na Lava Jato -, deu prazo para o empresário Raul Aguilela desocupar as 38 lojas da Big Ben, para que ela assuma o negócio. A Brasil Pharma está em recuperação judicial e teria passado adiante parte de suas lojas e franquias para a Raia Drogasil.

Em maio do ano passado, a direção da Big Ben passou o rodo em suas lojas no estado do Maranhão, após 16 anos. No Piauí, aconteceu o mesmo. Se no Pará, a empresa tinha mais de 160 lojas, no Maranhão, além de São Luís, ela era dona de 20 lojas distribuídas pelas cidades de Açailândia, Caxias, Imperatriz, Santa Inês e Timon.

Nos últimos meses, a marca já dava sinais de recessão financeira, com falta de medicamentos considerados básicos nos estoques. Em outros estados, como o Ceará, a rede fechou as lojas ainda em janeiro de 2017, deixando de dar maiores explicações para os colaboradores e clientes. Em Pernambuco, as drogarias foram fechadas em fevereiro.

Segundo o Valor Econômico, somente em 2016 a receita líquida da Brasil Pharma teve queda de aproximadamente R$ 1 bilhão, em comparação com o montante acumulado durante todo o ano de 2015. Naquele ano, a marca já havia registrado déficit de R$ 654 milhões.

Conselho lamenta demissões

Em nota, o Conselho Regional de Farmácia do Pará (CRF-PA) lamentou o fechamento das lojas e as demissões que estão sendo feitas. "Manifestamos irrestrito apoio aos mais de 200 colegas farmacêuticos afetados pelo encerramento das atividades de grande parte das lojas da rede de farmácias Big Ben".

E mais: "lamentamos imensamente que a súbita redução da rede tenha afetado de forma tão direta centenas de profissionais, abalando estruturas familiares e alterando planejamentos individuais e coletivos. Principalmente em um período de recessão e dificuldades que fazem parte das realidades dos lares brasileiros", resume a nota do CRF-PA.

Um comentário:

  1. Um país mergulhado no mar da corrupção,vivenciando a pior crise politico-econômica de sua história,só poderia acarretar essas mazelas sociais,tais como,empresas quebradas e a consequente demissão em massa.fica a torcida para que esses profissionais consigam brevemente as suas reinserções no mercado de trabalho.

    ResponderExcluir