VER-O-FATO: GRACINHA: HYDRO DIZ NÃO SER DONA OU SÓCIA DA ALBRÁS E ALUNORTE EM AÇÃO DE 30 COMUNIDADES DE BARCARENA

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

GRACINHA: HYDRO DIZ NÃO SER DONA OU SÓCIA DA ALBRÁS E ALUNORTE EM AÇÃO DE 30 COMUNIDADES DE BARCARENA

A empresa norueguesa Norsk Hydro, que é processada na Justiça Federal por 30 comunidades do município de Barcarena - onde instalou-se um caos ambiental sob as bençãos de autoridades omissas - apresentou uma graciosa alegação ao juiz Artur Pinheiro Chaves, para fugir de suas responsabilidades pela devastação de florestas e aterro de rios em reserva ecológica da região.

A Hydro diz, na resposta de seu defensor, o poderoso escritório Silveira & Athias, Soriano, etc e etc - no prazo de 3 dias que foi determinado pelo juiz para ela se defender na ação movida pelos advogados Isamel Moraes e Marilete Sanches -, que não é dona e nada tem a ver com as gigantes do alumínio Albras e Alunorte. 

Os dois advogados pedem que a Justiça Federal suspenda as licenças ambientais da Norsk Hydro e bloqueie a certificação ISO junto ao Inmetro, e da certificadora Bureau Veritas. A medida pede que a Justiça Federal determine que a Norsk Hydro aterre onde construiu as bacias, refloreste o local e faça reviver os rios onde devastou para construir a obra DRS-2, em estimados danos de 500 milhões de reais.

Veja o trecho, abaixo, da resposta da Hydro ao juiz federal: 





Nenhum comentário:

Postar um comentário