INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL

Linha de Tiro - 19/04/2018

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

FUNCIONÁRIO DA COSANPA FALTOU E A ÁGUA SUMIU DO CONJUNTO GUAJARÁ. PODE ISSO, ARNALDO?

Em pleno século XXI, certas coisas que ainda acontecem no Pará soam inacreditáveis e patéticas, embora sustentadas por fatos. Isto é resultado de um Estado paquidérmico e lento, sustentado por contribuintes e administrado por burocratas ineptos.

Exemplo disso é o que aconteceu desde o começo da manhã deste Natal no Conjunto Guajará I, em Ananindeua. Faltou água naquela área. Até aí tudo "normal", pois a Cosanpa é aquilo que todos conhecem como prestador de serviços públicos.


Ruim foi quando os moradores telefonaram para o órgão, buscando explicações sobre o ocorrido. E o que ouviram foi de deixar qualquer um entre perplexo e furioso, subindo pelas paredes.

Segundo o plantonista, um funcionário do setor que abastece o bairro faltou ao plantão natalino e o reservatório ficou desabastecido. Incrível, não é mesmo? O sujeito teve algum problema de saúde, ou ficou enchendo a cara até de manhã, comemorando o Natal, não apareceu para trabalhar, e não havia ninguém sequer para substituí-lo.

A Cosanpa, também procurada pela imprensa, informou ao portal de notícias G1 Pará que a situação seria resolvida ainda pela manhã. Ocorre que moradores do Guajará I, em contato com o Ver-o-Fato, foram taxativos: até o começo da tarde a água ainda estava bem longe das torneiras.

É demais !

Um comentário:

  1. Olha só essa, Carlos.Uma amiga minha passou um maior aperreio no Natal por causa da energia elétrica da sua residência.O "profissional" da Celpa,depois de várias chamadas sem resposta por parte da concessionária,se apresentou para CORRIGIR o problema da luz e,talvez por imperícia ou má vontade mesmo,simplesmente fez uma defecada(pra não falar outra palavra)na fiação elétrica da residência dela.Uma dor de cabeça enorme,em pleno Natal.Seja na água ou na luz,seja serviço público ou privatizado,o sofrido povo paraense tá lascado com tanta incompetência.Abraços.Rafael Araújo.

    ResponderExcluir