quinta-feira, 30 de novembro de 2017

PREFEITO NEGA CÁRCERE PRIVADO E AMEAÇAS NA UFPA E DIZ QUE COMUNIDADES DO XINGU REPUDIAM ACUSAÇÕES


O polêmico projeto da Belo Sun está com problemas na Justiça Federal


O prefeito Dirceu Biancardi (PSDB), de Senador José Porfírio, voltou a soltar os cachorros, desta vez não mais dentro da UFPA, onde proferiu ameaças e manteve pesquisadores em cárcere privado, segundo denúncia protocolada ontem na Polícia Federal pela professora Rosa Acevedo. Primeiro, na página da prefeitura no Facebook, ele solta "nota à imprensa", na qual nega as acusações de cárcere privado e baderna, durante o encontro "As Veias Abertas do Rio Xingu".

A nota diz que Biancardi "em nenhum momento capitaneou pessoas ou baderneiros em ações de cárcere, nem o gestor tem esse perfil, estando no local apenas para defender a posição e olhar do município em relação ao tema tratado, que naquele momento desrespeitava ao município". 

Salienta que sequer  havia sido convidado a dar seu posicionamento e acrescenta que a gestão "repudia quaisquer manobra nas informações que crie atmosfera de arruaça em instituição federal, como está sendo erroneamente colocado por terceiros". E mais: que foi ao auditório da UFPA " a convite dos moradores" e lá o gestor municipal desenvolveu meramente o papel de defender os interesses da população porfiriense.

Mais adiante, diz que o prefeito levantou questionamentos importantes sobre investimentos e o futuro das comunidades do entorno do projeto. Ainda de acordo com a nota, a gestão do município entende que "qualquer assunto que desrespeito ao município, o governo municipal quer se fazer presente e ter o direito constitucional de voz". 

Por fim, a prefeitura "deixa claro que não apoia qualquer ato que restrinja o fiel direito de ir e vir de quaisquer pessoa, que não aceita atos de vandalismo". O município, conclui, está à disposição das instituições públicas e cumpre seu papel constitucional de atender a demandas solicitadas de explicações acerca do ocorrido.

"ataques covardes" 


Ainda na página da prefeitura no Facebook, o órgão informa ter recebido na tarde desta quinta-feira (30) uma "nota dos moradores da região onde será implantada a Mineradora Belo Sun". Na nota, sem assinaturas ou papel timbrado de qualquer entidade dos ribeirinhos, a prefeitura afirmam que as lideranças comunitárias apoiam o prefeito Dirceu Biancardi, que vem sendo "duramente atacado nas redes sociais, por pessoas ligadas à ONGs e ambientalistas que são contrários ao projeto Volta Grande". 

Veja a nota, na íntegra: "As comunidades da Ilha da Fazenda, Ressaca, Galo, Itatá e Salu de Almeida, do Município de Senador José Porfírio, bem como as Associações de agricultores da Volta Grande do Xingu e comercial de Senador José Porfilio, grupo de mulheres e Indígenas desaudeados da Volta Grande do Xingu; se uniram todos para vir a público, manifestar seu repúdio aos ataques covardes sofrido nas mídias sociais por seus representantes que estiveram no Seminário da UFPA denominado "As Veias Abertas do Rio Xingu" onde supostamente se rebateria o Projeto Volta Grande de Mineração. 

Tais postagens mentem ao afirmar que nossos representantes impediram a realização do seminário através de ações truculentas, já que o que ocorreu foi justamente ao contrário: Após serem surpreendidos pela presença dos representantes das comunidades mencionadas e os reais interessados no assunto; não permitiram nossa palavra, contrariando o próprio estudo, do qual afirma ter se baseado em entrevista com moradores impactados e representantes da mineradora Belo Sun.

Além das mentiras exposta, houve grande desrespeito a população local, proferindo injurias como nos chamar de fascistas, bandidos, assassinos, dentre outras ofensas. Ocorre que os organizadores do encontro parecem não aceitar opiniões contrárias às suas e de forma soberba destrataram nossos colegas. Pedimos aos senhores um pouco mais de respeito, caso não saibam, o Pará é formado por um povo humilde, trabalhador e sofrido, porém corajoso. Não somos nenhum faroeste, a única arma levada a tal evento, foi a nossa voz, que nem sequer foi ouvida. 

Não é justo que tratem de nossas riquezas e de nosso futuro sem saber nossa opinião, vocês não são nossos donos. Pedimos então que coloquem suas mãos na consciência e reflitam sobre que dizem. Lideranças comunitárias do alto Xingu".



Nenhum comentário:

Postar um comentário