sexta-feira, 3 de novembro de 2017

OH, ANA JÚLIA !!

Ana Júlia: facada no contribuinte
Num mundo cada vez mais exigente  e revoltado contra a maneira pela qual o dinheiro público cai pelo ralo da corrupção e do desperdício, eis que em Belém do Pará a ex-governadora Ana Júlia Carepa - recém filiada ao PC do B - faz périplo pela Assembleia Legislativa em busca de um objetivo que nada tem de nobre ou preocupação com a causa pública.

Ela quer R$ 300 mil - isso mesmo, R$ 300 mil, certamente produto de alguma emenda de deputado pouco afeito à moralidade administrativa - para financiar sua biografia, o que certamente incluirá os desastrados 4 anos de governo estadual, além dos mandatos de senadora e vereadora.

Nem o fato de ter sido a primeira mulher a ocupar o maior cargo no Executivo paraense justificaria tamanho despautério, que é o financiamento desse livro pelo esfolado contribuinte. 

O Ver-o-Fato dá à ex-governadora, ex-vereadora e ex-senadora uma sugestão supimpa: por quê não faz um crowdfunding - no popular, a famosa "vaquinha" -, entre seus amigos e simpatizantes da esquerda, para bancar a empreitada intelectual?

Oh, Ana Júlia...!!!
Oh, Ana Júlia...!!!

Um comentário:

  1. Como se já não bastassem os quatro anos de sua irresponsável gestão com o dinheiro público, onde deitou e rolou como se fora uma Rainha de Sabá, patrocinando festas no Hangar, com boca livre para seu séquito de amigas e amigos, no camarote oficial, além de viagens a Salinas de avião e em comitiva de 40 pessoas na residência oficial de Verão, onde caminhões da Yamada despejavam as compras para os finais de semana regados a muita comida, uísque e vinhos, sem falar em suas peripécias amorosas com tudo pago pelo sofrido contribuinte. Ela não mais se acostuma com a vida comum dos mortais, onde tem de trabalhar para se sustentar e bancar mordomias com seu próprio dinheiro. Ela quer seguir os passos de outro desastrado governador temporário (por sorte apenas por nove meses), cantor de brega Carlos Santos, que chegou a publicar um livro intitulado de "Camelô a Governador", distribuído gratuitamente aos "amigos" dos tempos de poder efêmero, que depois sumiram. A "vaquinha" suhgerida tem tudo para ser um fiasco, pois os muitos amigos e admiradores de Ana Júlia também sumiram... Por isso, ela foi passar o pires lá na Alepa, sem muita aceitação, diga-se. O fato de ter sido a primeira mulher a governar o Pará está sendo motivo até de desgaste para as demais mulheres paraenses, pois sua gestão praticamente "queimou" o filme de novas mulheres que se candidatarem ao cargo em próximas eleições. Ora, vai trabalhar Ana Júlia, coisa que nunca fizestes na vida. Chega de lambança !

    ResponderExcluir