quarta-feira, 29 de novembro de 2017

O PAU CANTOU NA UFPA: DEFENSORES DE MINERADORA TRANCAM PESQUISADORES EM AUDITÓRIO E CASO ACABA NA POLÍCIA

Biancardi, o prefeito, desceu a lenha nos pesquisadores da UFPA
Faixas criticavam  entidades e defendiam a mineradora Belo Sun


O encontro científico "Veias Abertas do Xingu", hoje à tarde, no Auditório do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas - UFPA, Campus Guamá -, para tratar sobre o projeto da multinacional Belo Sun, que pretende extrair ouro do Rio Xingu, foi encerrado após o local ser invadido por um grupo de 30 pessoas lideradas pelo prefeito do município Senador José Porfírio, Dirceu Biancardi, o deputado estadual Fernando Coimbra e uma vereadora.


O caso terminou na Polícia Federal, onde a pesquisadora e professora da UFPA, Rosa Acevedo, registrou um boletim de ocorrência, denunciando ameaças e cárcere privado. O grupo entrou aos gritos no auditório, iniciando um tumulto que obrigou os organizadores a encerrar o encontro.

Os líderes dos defensores do projeto não aceitaram a decisão e decidiram tomar conta da mesa de trabalhos. Não deixaram ninguém sair, trancaram as portas e passaram a desferir pesadas críticas aos estudos que apontam danos ambientais e sociais que serão provocados numa das regiões mais impactadas do país e onde já funciona outra obra polêmica: a hidrelétrica de Belo Monte.

Intimidados e ameaçados de agressão, segundo relatos feitos ao Ver-o-Fato, os pesquisadores foram acusados de estar prejudicando as comunidades ribeirinhas da região que, segundo o prefeito e o deputado, apóiam e querem a obra da Belo Sun, alegando que ela levará emprego, renda e desenvolvimento para todos. A segurança da UFPA, embora acionada, não deu as caras no auditório.

"As pessoas que foram levadas pelo prefeito, deputado e vereadora estavam muito nervosas e eram incitadas pelos políticos, gritando palavras de ordem a favor da empresa", disse um pesquisador. A professora Rosa Acevedo, ao anunciar o cancelamento do evento, explicou que não havia condições para o debate, mas o grupo não aceitou.

Clima pesado

Rosa Acevedo ainda tentou argumentar sobre a falta de representantes institucionais, na medida em que eles estiveram presentes apenas na sessão de ontem, na abertura do evento, e que hoje seriam apresentados os relatórios de pesquisa para a análise e debate por parte dos interessados. Na base da violência, porém, Acevedo e outros pesquisadores foram coagidos a iniciar uma sessão sem haver clima para tal.

Quando a situação piorou, apareceu no local uma equipe da TV RBA. Nesse momento, os lideres do grupo decidiram liberar a saída de todos. Parece que a Belo Sun quer implantar seu projeto na marra, à falta de argumentos técnicos e ambientais embora a empresa já tenha obtido um controvertido licencimento da obra pela Semas, do governo estadual.

Além disso, já existe uma ação civil pública do Ministério Público Federal (MPF), que denuncia inúmeras irregularidades no empreendimento, além do grave risco para a própria vida do Rio Xingu.

O Ver-o-Fato tentou falar com o prefeito e o deputado, mas não obteve resultado. De qualquer maneira, o blogue está aberto às explicações de ambos.

11 comentários:

  1. o que a Reitoria vai fazer poara defender a instituição contra esses fascistas que querem implantar no grito a mina de ouro Belo Sun? Vergonha essa Reitoria!!!!!

    ResponderExcluir
  2. o prefeito tá certo não pode permitir que essas ongs ISA, MAB XINGU VIVO e essa tal de UFPA se metam nos assuntos do povo, só o povo decide e povo do Xingu já decidiu quer a Belo Sun.parem de perseguir quem quer trabalhar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tipico comentario falso. A verdade é q os moradores sao expulsos e os trabalhadores sao trazidos de outros estados e superexplorados, muitas vezes trabalho escravo. Mineracao so dá renda para o dono e os politicos ladroes!

      Excluir
    2. o fato é que hoje a imensa maioria da população vive numa pobreza que não tem um buraco para cair morta. Daqui uns 10 anos, depois que levarem toda riqueza, essa terão o merecido buraco.

      Excluir
  3. Classica a ligação das elites locais com esses projetos. Solidariedade ao povo do Xingu e a Professora Rosa

    ResponderExcluir
  4. ONGS desses cientistas não vão darem empregos pras pessoas em Senador José Porfírio e assim querem impedir a Belo Sun de dar empregos vão trabalhar vagabundos que é bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Afora seus problemas com a língua portuguesa e a covardia de assinar "Anônimo" (será que é próprio prefeito? Ou os Legisladores que o acompanharam?), mal sabe (ou sabe, mas "ganha" em não deixar ninguém saber) o que significa esta espúria defesa de quem, na verdade, oprime. Se tivessem ido ao evento para "questionar" - com domínio de causa - os dados... mas nem isso... ah tá!

      Excluir
  5. Tem que prender esses jagunços todos, inclusive prefeito, vereador e deputado. Igual fizeram com o Cabral, Eike Batista eo Picciani.
    Pra bandido é cadeia e pronto.

    ResponderExcluir
  6. as atuais grandes nações só assim são porque gangues e hordas de bandidos se juntaram para explorar tudo quando era riqueza natural , matando todos que não concordavam.

    ResponderExcluir