VER-O-FATO: INACREDITÁVEL: REITOR DA UNIFESSPA LEVA CURSO DE JORNALISMO PARA RONDON DO PARÁ, ONDE SEQUER EXISTE JORNAL

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

INACREDITÁVEL: REITOR DA UNIFESSPA LEVA CURSO DE JORNALISMO PARA RONDON DO PARÁ, ONDE SEQUER EXISTE JORNAL

Maurílio Monteiro deixou o pessoal de Marabá e ver navios
Sem cumprir sua palavra para comunicadores de Marabá durante reunião em 2015, o reitor Maurílio Monteiro empurrou o curso de Jornalismo para Rondon do Pará, como era sua vontade e agregá-lo ao Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA) e não ao ILLA (Instituto de Linguística, Letras e Artes) com sede em Marabá, como faz a UFPA e tantas outras universidades do País.

O reitor havia prometido aos comunicadores de Marabá que abriria espaço para que um representante da categoria pudesse defender os argumentos do grupo no Consur (Conselho Superior) da Unifesspa antes da aprovação do curso e sua localização. Ele nunca cumpriu sua palavra neste sentido.

Nesta segunda-feira, de forma definitiva, a Unifesspa anunciou que vai ofertar 1.240 vagas em 37 cursos de graduação, em 2018. O curso de Jornalismo da Unifesspa, a ser ofertado pelo Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA), no município de Rondon do Pará, será a primeira graduação regular do gênero do sudeste paraense, que rompe com silêncio de décadas da presença da universidade pública na região sem Comunicação Social.

Em 2003, a Universidade Federal do Pará (UFPA) abriu vestibular com turma de Jornalismo em Parauapebas (a primeira fora da capital), mas sem continuidade. O curso de Parauapebas foi o único de uma universidade pública no interior paraense. Atualmente, de acordo com o Ministério da Educação (MEC), o Pará possui cursos de Jornalismo em sete instituições, inclusive o recém-criado da Unifesspa, registrado sob número 1276154. 

Belém concentra cursos em quatro instituições (na UFPA, na Universidade da Amazônia, na Faculdade de Estudos Avançados do Pará e na Faculdade Estácio do Pará) e Santarém, em duas (na Universidade da Amazônia e no Instituto Esperança de Ensino Superior).

Conforme o portal do MEC, o curso de Jornalismo de Rondon já tem coordenador indicado, o professor Márcio Paulo de Araújo Mafra. A previsão é de que sejam ofertadas 20 vagas anuais.

Abaixo, leias as informações publicadas pela Unifesspa em seu site sobre a abertura de vagas para 2018: “O edital do processo seletivo de ingresso por meio do Sistema de Seleção Unificada (SiSU) foi divulgado nesta segunda-feira (27). Além dos cursos já existentes, a Unifesspa amplia as oportunidades de formação superior para a população do sul e sudeste paraense com a criação de quatro novos cursos.

O Campus de Xinguara, pela primeira vez, abre vagas para Medicina Veterinária, Zootecnia e Geografia; e o Campus de Rondon do Pará oferta a primeira turma do curso de Jornalismo, ambos com início no segundo semestre de 2018.

No Campus Marabá serão ofertados os cursos: Agronomia, Ciências Econômicas, Direito, História, Ciências Sociais, Geografia, Pedagogia, Física, Matemática, Química, Ciências Naturais, Sistemas de Informação, Geologia, Engenharia de Materiais, Engenharia de Minas e Meio Ambiente, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Engenharia da Computação, Engenharia Química, Psicologia, Ciências Biológicas, Saúde Coletiva, Letras – Língua Inglesa, Letras - Língua Portuguesa e Artes Visuais.

No Campus Xinguara também são ofertadas vagas no curso de História; no Campus de Rondon do Pará serão ofertados, ainda, os cursos de Administração e Ciências Contábeis; no Campus Santana do Araguaia, o curso de Matemática. No Campus de São Félix do Xingu, o curso de Letras-Língua Portuguesa.

Bonificação de 20%

Em 2018, a Unifesspa mantém o critério de bonificação regional. A medida tem como objetivo estimular o acesso à Universidade pelos estudantes que residem nos municípios que integram as regiões de influência nas cidades onde a Unifesspa possui campus instalado, além de Imperatriz e Araguaína. 

Para esses candidatos que tenham cursado pelo menos um ano do ensino médio nessas regiões, será atribuído um acréscimo de 20% na nota final do ENEM. A Unifesspa também adotará, para todos os cursos, a reserva de 50% das vagas para estudantes que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas, em cumprimento à lei  12.711/2012 (Lei das Cotas).

Além disso, serão reservadas duas vagas, nos cursos de graduação, destinadas a pessoas com deficiência, de acordo com a Resolução Nº64/2015. Com essa ação afirmativa, a Unifesspa foi uma das primeiras instituições de ensino superior do país a destinar cota de vagas para pessoas com deficiência. 

Os candidatos interessados devem acompanhar o calendário oficial do Sisu 2018 e ficar atentos aos processos e etapas de inscrições”. Fonte: Correio de Carajás - Ulisses Pompeu – com informações da Unifesspa)

Um comentário:

  1. Engraçado, muito engraçado, ficavam reclamando tanto que a UFPA monopolizava os cursos em Belém e que não levavam cursos decentes para Marabá, e agora como Unifesspa tão com o mesmo mimimi, só que agora querendo puxar a sardinha pro próprio lado e não quer abrir mão de curso nenhum para os campi fora de sede, só digo uma coisa... O CHORO É LIVRE!! ... hahahaha

    ResponderExcluir