VER-O-FATO: HELDER BARBALHO FAZ 61 VIAGENS AO PARÁ EM TRẼS MESES, MOSTRA "FOLHA DE SÃO PAULO"

terça-feira, 28 de novembro de 2017

HELDER BARBALHO FAZ 61 VIAGENS AO PARÁ EM TRẼS MESES, MOSTRA "FOLHA DE SÃO PAULO"





Do blogue Espaço Aberto, do jornalista Paulo Bemerguy:

Espiem.

A imagem acima mostra parte de infográfico publicado na edição desta segunda-feira (27), da Folha de S.Paulo.


Aí estão os ministros do governo Temer que mais têm trançado pernas em viagens oficiais em seus Estados de origem, na aberta condição de pré-candidatos em campanha – nem tão disfarçada, aliás.

Os números mostram que Helder Barbalho (PMDB), da Integração Nacional, provável candidato a governador do Pará, Barbalho passou 61 dias, de janeiro a outubro, em compromissos oficiais no Estado - quase o dobro do tempo em que esteve em outras unidades da Federação. 
Ao todo, foram 110 eventos, inaugurações e reuniões –de vistoria de praias a entrega de caminhões de lixo.

Ah, sim.

E a propósito da matéria, a Comissão de Ética Pública da Presidência resolveu investigar Helder e outros oito ministros: Gilberto Kassab (Ciência, Tecnologia e Comunicações); Leonardo Picciani (Esporte); Marcos Pereira (Desenvolvimento, Indústria e Comércio); Mendonça Filho (Educação); Osmar Terra (Desenvolvimento Social); Ricardo Barros (Saúde); Ronaldo Nogueira (Trabalho) e Sarney Filho (Meio Ambiente).

2 comentários:

  1. Fazendo uma correção da matéria Hélder, não é proválvel candidato a governador, mas sim candidatíssimo ao governo do Pará,e por sinal o mais cotado e mais competente para assumir o cargo.Portanto doa a quem doer, Hélder será nosso futuro governador do Pará, para tristeza do blogueiro e do grupo ORM, mas para felicidade do povo paraense!

    ResponderExcluir
  2. Ao anônimo das 13:46 de 28 de novembro. Já ouvi e li essa mesma ladainha em 2014 no Pará. E os paraenses parece que não endossaram. Pelo que me informam os filhos da terra paraense, o candidatíssimo não está muito bem nas pesquisas. Ele continua abaixo dos 50%, menos do que teve em 2014.

    ResponderExcluir