VER-O-FATO: FRAUDES EM LICITAÇÕES NAS PREFEITURAS DE BRAGANÇA E TRACUATEUA: MP E POLÍCIA FAZEM DEVASSA E APREENSÕES

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

FRAUDES EM LICITAÇÕES NAS PREFEITURAS DE BRAGANÇA E TRACUATEUA: MP E POLÍCIA FAZEM DEVASSA E APREENSÕES

Os documentos apreendidos vão passar por perícia. A colheita de fraudes foi boa

Há muita coisa suspeita e provas já colhidas sobre um grande esquema que envolve manipulação e fraudes em licitações nas prefeituras dos municípios de Bragança e Tracuateua. Por conta é que o Ministério Público (MPPA) saiu às ruas ontem durante a "Operação Caeté". E a colheita foi boa: foram cumpridos 15 mandados de buscas e apreensões em prédios públicos, residências e empresas nos municípios de Bragança, Tracuateua, Augusto Corrêa, Igarapé-Açu e Belém. 

Em Bragança, os promotores e policiais estiveram nas residências de Carlos Augusto Dias Lobo, Rowilson Guimarães Pessoa, João Augusto Santa Brígida Soares, Paulo Vítor Marinho de Aguiar e José Augusto Santa Brígida Soares e sedes da Construtora Joricá Ltda, da prefeitura de Bragança, da Secretaria de Infraestrutura de Bragança e da Empresa Brashow Promoções e Eventos.

Em Tracuateua, os alvos foram a sede da prefeitura de Tracuateua e residências de Cilene do Socorro Andrade Lima e Waldeth Gomes da Costa - este irmão do ex-senador e prefeito de Belém, Duciomar Costa. Em Igarapé-Açú a residência de Ilgomar Moraes de Lima e da Empresa Moraes de Lima Transportes e Serviços. Em Belém, um alvo na travessa do Chaco

As investigações ocorrem por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Graeco) e da Promotoria de Justiça de Bragança, em parceria com a Polícia Civil. Segundo o MP, em Bragança as ações foram executadas em cumprimento às diligências requeridas em procedimentos investigatórios criminais, sob a presidência do promotor de Justiça Bruno Beckembauer.

Participaram das buscas e apreensões os promotores de Justiça Milton Menezes e Augusto Sarmento, ambos do Gaeco, além de Bruno Beckenbauer e Marcela Melo de Bragança e Juliana Pinho (apoio ao Gaeco), e policiais civis (delegados e investigadores) da Delegacia de Defraudações Públicas e policiais do Grupo de Pronto Emprego (GPE).


Um comentário:

  1. Quando essa batida vai ser realizada na Prefeitura de Belém....

    ResponderExcluir