quinta-feira, 19 de outubro de 2017

RÁDIO ROSÁRIO FM: A VOZ INDEPENDENTE DE COLARES NA ILHA DE ENCANTO E DOS ETs

A emissora está no ar há 25 anos e já sofreu atentado por criticar políticos
Os programas são feitos ao vivo, com muito empenho e dedicação
Beto: " apoiamos as lutas da comunidade, as pesquisas e a ciência"
Beto destaca a luta pelo polo universitário da UFRA, no município


Fundada há mais de 20 anos, a Rádio Rosário FM - prefixo ZYD231 - é a voz do município de Colares. Aliás, a única voz naquela cidade de 12 mil habitantes, transmitindo uma programação dinâmica e eclética, com muita música e prestação de serviços à comunidade.


Quem fala sobre a Rádio Rosário é seu idealizador e mantenedor, Hilberto Freitas, conhecido por Beto. "Temos trabalho social e de pesquisas. Defendemos a preservação do meio ambiente, denunciando autoridades que não cuidam do nosso município". E lembra que, por ser uma rádio independente, que não se curva aos poderosos, a Rosário FM já teve seu único veículo incendiado, numa tentativa frustrada de calar a voz que se levanta em defesa do povo.

"Tomamos providências, procuramos o Ministério Público, mas até hoje nada foi feito para punir os responsáveis pelo atentado à liberdade de expressão, mesmo com o criminoso identificado. Até a Corregedoria do Interior foi acionada, mas nenhuma providência foi tomada", acusa o fundador da emissora.

Montada e colocada no ar com muito sacrifício e recursos próprios, a rádio foi a primeira do interior paraense a retransmitir o "Jornal da Cultura", da emissora estatal. Detalhe: a Rádio Rosário não receber qualquer ajuda para se manter em atividade.

Beto desabafa: "sempre fomos perseguidos por alguns políticos de Colares, que queriam o fim da emissora, por não suportarem receber críticas em razão das coisas erradas que fazem, mas eles foram derrotados pela nossa persistência e tenacidade".

O dirigente da Rdio Rosário ressalta, porém, o apoio cultural que recebeu da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), através do ex-reitor, dr. Tourinho, e da dra. Maria das Dores Palha, que vibraram quando na cidade de Colares foi implantado um polo universitário, antiga reivindicação dos estudantes do município.

Em termos de pesquisas, Beto revela que seu objetivo é "desenterrar os ossos da "Operação Prato" há muito sepultada e que nos últimos tempos veio à tona com a colaboração do ufólogo Ademar Gevaerd e do jornalista Carlos Mendes, dentre outros". O próprio Beto tem participado de palestras e conferências sobre a missão militar e os fatos ocorridos em Colares nos anos 70, divulgando o município por onde passa.

O presidente e fundador da rádio ressalta que a emissora sempre esteve ao lado da comunidade e da ciência, procurando "abrir o raciocínio dos céticos" para o fenômeno mais importrante da ufologia mundial. Não é à toa que ele recebe em Colares e na sua emissora produtores de televisão da Europa, Estados Unidos e de outros continentes, além de brasileiros e latino-americanos, buscando informações sobre os fatos até hoje comentados pela imprensa mundial.

Beto criou até um slogan que sua rádio divulga com orgulho: "Colares, a ilha de encanto e fantasia". E nós, assinamos embaixo, claro.


Um comentário:

  1. Procure uma escritura na Ilha do desdobramento da escritura unica original?

    ResponderExcluir