INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL

Linha de Tiro - 19/04/2018

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

MOTORISTA EVERALDO SOUZA PROVA QUE VALE A PENA SER HONESTO

Everaldo e dona Anita: valor moral
A honestidade é um valor ou qualidade própria do ser humano que tem uma estreita relação com os princípios de verdade, justiça e com a integridade moral. O  filósofo chinês Confúcio (551 a.C.-479 a.C.) fez a diferença entre três níveis de honestidade.

Num nível mais superficial, inclui as ações que uma pessoa realiza com o objetivo de cumprir os seus próprios desejos, tanto a curto como a longo prazo, embora nunca escondendo a sua sinceridade. No nível mais elevado, a pessoa  não procura satisfazer o seu próprio interesse mas antes o princípio moral da justiça, com base na reciprocidade.

Por fim, o nível mais profundo da honestidade é aquele para o qual é necessário auto-compreensão prévia para compreender os outros. Este nível implica que um indivíduo deve tratar aqueles que se encontram num nível inferior da escala social da mesma forma que gostaria que os superiores o tratassem.

O motorista Everaldo Souza, de 46 anos, é uma pessoa cujo conceito moral de honestidade  ele coloca em prática da seguinte maneira: o que é de outra pessoa, embora tenha sido por mim encontrado, a ela pertence e tudo farei para devolver. E assim foi feito.

Everaldo encontrou um pacote com quase R$ 500 dentro do ônibus que ele dirigia no início de setembro, em Belém, e resolveu fazer uma campanha na web para achar a dona. Após passar mais de 10 dias com o dinheiro, ele conseguiu achá-la e devolveu na terça-feira (12) o montante à idosa de 80 anos. 

Ele trabalha na empresa Viação Guajará e dirige, geralmente, ônibus da linha UFPA-Alcindo Cacela, onde a idosa esqueceu o dinheiro. Everaldo postou em sua rede social a foto do cartão vale transporte de Anita junto com o valor de R$ 495. Uma conhecida dela reconheceu a idosa pela foto do cartão e avisou a Everaldo. 

Ele conta que Anita, a dona do dinheiro, ficou surpresa quando ele chegou à porta da casa dela dizendo que havia achado o dinheiro. “A senhora perdeu alguma coisa?”, disse Everaldo à Anita, que respondeu que havia perdido seu cartão e o dinheiro. “Então eu falei: ‘eu achei o seu dinheiro. Está comigo’”, relata o motorista. “Ela pulou de alegria e contou que havia guardado o dinheiro para comprar remédios”, diz Everaldo. 

Segundo Everaldo, ele ficou esperando encontrar a dona do dinheiro em uma das viagens, mas, como se passaram os dias e ninguém apareceu, resolveu postar na web. “Deu certo. Fui à casa dela no dia 10 e marcamos para eu entregar o montante a ela nesta terça-feira, aqui no final da linha do ônibus”, diz. 

Honestidade é um valor precioso para Everaldo, que trabalha há 23 anos como motorista. Antes disso, ele era balconista de uma sorveteria. Ele conta que não é a primeira vez que se esforça para achar o dono de um objeto perdido. Certa vez, foi até um shopping de Belém para achar a dona de dois cartões, um de Passe Fácil e outro de ponto. 

“Eu apenas fiz aquilo que eu gostaria que fizessem para mim ou para as minhas filhas. Como evangélico, aprendi que devemos amar o próximo”, diz o pai de três filhas. 

Eis a prova de que, apesar de tanta canalhice, tanta roubalheira e apropriação do dinheiro público por ladrões de gravata e outras "autoridades", vale a pena ser honesto. 

Ainda resta salvação à humanidade. (Do Ver-o-Fato, com informações do G1 Pará)

Nenhum comentário:

Postar um comentário